Medos


Você já teve tanto medo, mais tanto medo....que não havia outro caminho a não ser superar.....ou fracassar???


Sou um ser humano decidido, com a entonação da voz um tanto grave, se soubesse cantar seria um barítono (Barítono, voz masculina que se encontra entre as extensões vocais de um baixo e um tenor. Trata-se de uma voz mais grave e aveludada que a dos tenores) posso falar para uma multidão sem o uso de megafones. Por isso todos pensam que não tenho pavores escondidos.....

Hoje decidi que vou abrir meu coração para vocês, pois assim como muitas pessoas eu tenho medo e dou pití....(quer dizer que não consigo manter a finesse em todos os momentos....OOOOHHH!) eles são muitos, mais os que eram mais complicados relato a seguir:

1 medo de agua ( rio, corrego, lago ou mar ).

2 medo de agulha (injeção, vacina, exame de sangue, etc...)

3 medo de animais rastejantes (lesma, lagartas, etc)

Tipos de incapacidades ocasionadas por cada um desses medos (detalhe importantíssimo – são fatos reais, aconteceu comigo...........)

Medo 3: 
Certo dia ao abrir a porta da cozinha deparei-me com um ser rastejante, alguma espécie de bicho cabeludo,ou mandorová, convenhamos o nome nem importa, o interessante é saber que ele era Enorme e assustador, bem no meio do caminho, gritei (grito de filme de terror), tranquei a porta e corri até a sala, sentei-me, respirei fundo e por 2 horas pensei sobre o que fazer....pensei no amor que tenho por borboletas, e no monstro na minha cozinha, pensei em como eu iria cozinhar se tem um monstro na minha cozinha, nas borboletas, no monstro e por fim decidi. Se quero ver mais borboletas, tenho que deixar um ou outro bichinho sobreviver, peguei uma arma na área de serviço, meu rodo e fui empurrando "o monstro" até a porta, joguei-o porta a fora, e claro tranquei pelo lado de dentro...... (claro....vai que ele decide abrir e entrar comigo lá dentro e se vingar por eu não o deixar na minha cozinha.....tá certo que eu até poderia tentar explicar que o lugar dele é na natureza, mas e se ele tivesse sofrido uma mutação genética e só gostasse de concreto???? ) Melhor previnir.
Outras vezes ao lavar alface para salada, encontrava um bicho gritava corria e só voltava para a cozinha após o marido, ter jogado tudo no lixo, pois eu não me arriscaria a ficar no mesmo ambiente com um animal tão atroz.....detalhe só comprava e lavava salada se tivesse mais alguém em casa, sozinha eu nunca faria essa experiência aterrorizante. Couve-Flor e Brócolis só compro se outra pessoa lavar, depois eu coloco de molho em várias misturas e a outra pessoa que tem que tirar e enxaguar... aí eu até preparo, pois sei que o perigo já não se encontra alí....

Medo 2:
Fato 1. Todas as vezes que precisei fazer anestesia odontológica, ou exame de sangue, aproximadamente 1h depois eu desmaiava, ia parar no hospital, por esse motivo, fiz várias consulta médicas, vários exames até descobrir que não tinha nada errado...já desmaiei em supermercado, dentro de ônibus.... (eu não sabia que era o medo que me causava isso, então  a cada desmaio lá ia eu parar no pronto socorro de algum hospital, tomar o tempo do médico que me examinava e fazia um monte de perguntas, tipo está gravida, quando veio sua última menstruação....nunca ninguém perguntou onde você esteve nas ultimas 2 horas....aí me mandava fazer um monte de exames...) e eu sempre preocupada, pois alguma coisa estava errado comigo e os médicos não descobriam, será que era alguma doença maligna, que só descobririam após ter tomado todo meu corpo????
Fato 2. Após exames de sangue eu ficava 3 dias com o braço doendo..... O dia que fui doar sangue tudo ia bem até que lembrei que a agulha estava lá e comecei a passar mal e fiquei uma semana em casa passando muuuuuuuuuiiiito mal.... ...bastava eu lembrar que passava mal....e o triste é ir ao médico sem me tocar do motivo, examina, examina e: - Está tudo ok com vc! Mas doutor eu estou péssima.....(céus será que aquela doença está realmente tomando meu corpo??? Até quando???
O diagnóstico: Um dia o marido me falou: - Você já reparou que toda vez que tem agulha na jogada no dia seguinte vc tá doente? Bingo!!!Chegamos a um veredicto. Sorte que já haviam passado vários anos de casado....se fosse no inicio acho que ele me devolveria...kkk(brincadeirinha) Comecei a me observar e constatei, antes coração acelerado, na hora eu falava tanto que o profissional em questão (dentista, enfemeiro) tinha que me mandar calar a boca, para ele conseguir trabalhar.....saia de lá....um nó na garganta o ar começava a faltar....e aprendi a driblar o desmaio....mais sempre chegava até quase lá.

Medo 1:
Fato: Durante a travessia, de qualquer tipo de ponte, eu só olhava para frente não piscava, respirava ou soltava de onde estivesse agarrada, certa vez, em um passeio com amigos, o marido brincou (ele ainda não sabia o quanto eu tinha medo – início de casamento) fazendo de conta que iria me jogar no rio.....abri a boca. Chorei muuuuito, e estraguei o passeio.....
Fato2: Na praia, mar na altura da coxa, (com muito sacrificio minha cunhada conseguiu que eu fosse até lá nessa profundidade) primeiro dia, vem uma onda e me derruba, ralei o corpo todo, quase morri afogada meu marido precisou me salva, fiquei sem entrar no mar o passeio todo, nem na altura da sola do pé, e andava uma quadra tinha que sentar ou deitar que as minhas pernas afrouxavam.....estraguei o passeio de novo....

Após minha filha nascer, decidi que precisava mudar e logo. Pois comecei a perceber que a maioria dos entraves de minha vida eram ocasionados por medos incapacitantes...... Foi assim que decidi tomar as rédeas de minha vida e mudar. Essa mudança é assunto para o post de amanhã, mas gostaria de saber vc também tem algum medo assim como eu tinha/tenho? Amanhã eu conto como estou superando-os e quem sabe assim vc decida superar os seus também.

Muita Luz e Paz!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

3 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Leovi publicou o comentário número:

Basta tener algo para tener miedo a perderlo. No nos dan miedo las personas, animales,... sino lo que nos pueden hacer perder. Cuanto menos tienes que perder es más fácil ser valiente. Saludos

jefhcardoso publicou o comentário número:

Bem, o seu medo de lagartas é justificável. Uma vez eu soube de uma pessoa que foi atacada por uma e morreu, cinco anos depois, de infarto.
Poxa, seu marido não tinha esse direito. Você precisava ficar doente, oras. [sorrio].
Atravessar ponte, pular onda, pra quê, né? Melhor ficar em casa, uai. [sorrio novamente]

Obrigado por seu comentário em meu blog, e vê se deixa de ser medrosa, mulher! Como você leu em meu blog, eu não tenho medo de nada. [rindo e piscando o olho direito]

Jefhcardoso

Apenas um lugar para ser (Lis) publicou o comentário número:

Ow que legal o seu post!
Não pelos eventos, apesar de ter rido em alguns momentos pela forma como vc conta, mas eu nunca ia imaginar que vc tb tivesse medos bobos assim, parece mais normal do q eu imaginava... Sou uma eterna dramática! =)

Bom, meus medos atuais vc já conhece, eu tb tinha medo de gatos, mas já superei esse. =)

Agora vou ler os próximos posts.. =)



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias