Um pouco de mim

A Elaine Gapareto, do blog Um Pouco de Mim, fez uma postagem sobre uma adversidade em sua vida e me inspirou a falar de mim (como se no blog eu falasse de outra pessoas....rsrs). Sugiro a você que vá até lá e leia o que ela disse para ver o motivo de minha inspiração.
Bem eu sou aquele furacão que chega e fala educadamente de uma maneira que todos ouvem, sim eu não sei falar baixo, por vezes acho que estou falando baixo, mas basta olhar para o lado que percebo que todos estão participando da conversa. Na minha família, minha irmã caçula me compara com o Capitão Nascimento do filme tropa de Elite, não pelas crises mas pela maneira de falar como se fosse uma ordem.
Sou aquela que quando você me conhece melhor descobre que a famosa frase: Um pedido seu é uma ordem, comigo é regra. Eu peço uma, duas, três, até quatro vezes mas quando eu falar pela quinta vez, qualquer um vai chorar e obedecer na hora, não me orgulho....muito pelo contrario me revolto, não comigo Com os outros que não conseguem fazer as coisas quando a gente é legal, gentil e pede de forma sutil e delicada. 
Já presenciei  pessoas serem subjulgadas devido a sua postura e tom de voz calmo e tranquilo. Odeio injustiças, e sou do tipo que dá uma boiada para não entrar numa discussão, mas se entro não saio, não sem fazer prevalecer a verdade ( a minha verdade).
Tenho o timbre de voz que me permite falar ao maracanã lotado sem o uso de megafone....(tá exagerei, mas é assim que minha família me vê...rsrs.) Aqui em casa a coisa funciona assim, sempre que precisamos reclamar de algo o marido vai a primeira vez, se não resolver eu entro na jogada aí a coisa flui....milagrosamente.
Meu problema é que as vezes me empolgo ao contar algo e quem está ao redor me olha assustado, e eu falo "não estou brigando", se o marido ou a filha estão do lado já falam: você mudou o tom de voz....eu sei que me empolguei....sou alguem que tem que viver controlando o Capitão Nascimento que vive em mim.....sem eliminá-lo nunca pois as vezes ele é muito útil. Mas se fico brava Choro, se estou alegre choro, se me emociono choro, se rio choro, se estou feliz eu choro.
Resumindo quando estou conversando sou uma incognita que ora está aos brados e ora está as lágrimas.
E você com qual personagem tem que conviver para conseguir levar a vida numa boa?
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

8 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Neli Alves publicou o comentário número:

Na minha idade (67) não dá mais para fazer "cara de paisagem" quando bicho pega. Rodo a baiana e falo alto mesmo (até porque, meu tom de voz é alto e agudo).
Minha avó tentou me educar, mas só conseguiu mais ou menos. rsrs
Coitada, não deu certo. Sou brava demais, principalmente com o marido, que me suporta há 40 anos. Bjks

Paula... publicou o comentário número:

Deixa pensar...nao sei..rs. Acho que nenhum personagem. Tbém tenho a tendência de falar alto, menos em lugares públicos. A medida que a paciência diminue, a voz aumenta...rsrs.

Beijossss queridona!

Elaine Gaspareto publicou o comentário número:

Adelaide,
Vixe como somos diferentes!
Mas eu, apesar de tudo, tenho fama de brava, sabia? Injustiça, sou uma flor do campo rsrsrs

Beijosss e obrigada pelo link

Simone Artesanais publicou o comentário número:

Oi Adelaide!!!!!
Adorei sua visitinha lá no blog!!!!!
Menina tu me conhece é?????
Acredite sou igualzinha a vc,minha familia até diz assim:FALA MAIS BAIXO...
CHAMA A MONE(que sou eu)ELA RESOLVE RAPIDINHO.pq?Pq já chego com aquela voz de trovão e recomendando que façam o que estou mandando antes que o raio caia !!! risos
Somos muito parecidas mesmo,mas tb tenho um lado calmo gentil e educado é sinal que nem tudo está perdido né?
Adorei seu blog e com certeza estarei sempre por aqui!!!!Passa lá sempre !!!

beijos doces

Néia Lambert publicou o comentário número:

Nisso somos muito diferentes, minha cara amiga Adelaide, primeiro que dificilmente me exalto, segundo que mesmo se eu quisesse, não conseguiria falar alto, minhas pregas vocais não permitiriam. Mas bem que eu queria ter um tom de voz que me fizesse impor quando necessário.

Beijos

Mayara publicou o comentário número:

Acho que eu ainda estou descobrindo meu personagem interior: apesar de já estar com 23 anos, acabei de sair da casinha da mamãe que é uma perfeita generala e sempre resolveu tudo pra mim, que sempre fui muito tímida. Agora com o namorido mais tímido que eu, tive que dar a cara a tapa, e tenho gostado da pessoa que tenho descoberto: mais forte, mais decidida. Infelizmente no mund, eu tenho visto, se voê não tiver um "Capitão Nascimento" nada anda, nada flui, nada dá certo e ainda te fazem de bobo!

Cíntia publicou o comentário número:

Adelaide,preciso de um capitão Nascimento dentro de mim às vezes e não encontro!!!Como eu queria ter uma personalidade assim...sou tranquila demais para o meu gosto.Bitocas

Apenas um lugar para ser (Lis) publicou o comentário número:

Adorei esse post, acho q farei o msm, acolher nossos defeitos como nossos, como traços da nossa personalidade, sem jogar a culpa em ninguem, é o primeiro passo para a mudança. Bjs!!



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias