Educação e Família

Quando falei aqui sobre o aluno que levou maconha para apresentar o trabalho escolar, ou sobre a tal educação que vem de berço, a reflexão sobre este assunto deixou-me com a seguinte constatação, a culpada de tudo é a família que segundo a construção que consegui formular através de minhas vivência e comentários seria a família desestruturada, onde cada um vive por sí. Mas essa não é a "minha verdade", pais que trabalham demais e por esse motivo não tem "tempo" para acompanhar os filhos não é desculpa.

Creio que agora é o momento de o Estado passar a responsabilizar mais a família. Sim pois ser filho de viciado em drogas, que acreditam que só a violência resolve, ou de pessoas que trabalham em excesso. Não é uma novidade do mundo moderno. Olhemos a nossa volta, conversemos mais com as pessoas de 40 e tantos anos e veremos que já era assim.

Minha história:
Sou a terceira filha de uma família de 4 irmãos, meu pai encarregado de  almoxarifado trabalhava em horário comercial e voltava para casa fazendo via sacra pelos bares do caminho, chegava em casa e dormia, minha mãe trabalhava das 08 as 20h., como balconista em uma loja de confecções e quando chegava em casa ia direto para a maquina de costura complementar a renda familiar. Eu aos 11anos estudava pela manhã, trabalhava fora a tarde, cuidava de minha irmã de 7 anos, voltava para casa e fazia as tarefas escolares com ela, limpava  a casa, lavava a roupa e ajudava a preparar as nossas refeições, ainda achava tempo para jogar futebol de campo, futebol de salão, handball, volei e ficar com os amigos até uma 23h. Aprontei muuuuuito, quebrei vidraça, subi no telhado, esvaziei pneu de carro, fiz guerra de bolinho de barro, andava de bicicleta (dos amigos). E ainda tinha que prestar contas de minhas tarefas escolares, pois caso contrario, notas baixas ou ser chamado na escola era motivo para surras épicas....
Naquela época, trabalho infantil não era crime, por isso sempre trabalhei. Ah! e minha professora de matemática ela era perfeita, competente, mas se depois da explicação dada você não pedisse para ela explicar de novo, e ela o mandasse ao quadro fazer o exercício e desse aquele Branco, ela falava em alto e bom tom:
- É burro, porque não pediu para explicar de novo, seu burro!
Hoje ela seria presa, mais foi a melhor professora de matemática que já conheci (tá para mim ela nunca falou isso...rsrs) os pais a idolatravam, pois quem estudava com ela aprendia.

Eu aos 11 anos era responsável pela minha irmã de 7anos e como tal ia as reuniões escolares, (que previamente a minha mãe já tinha avisado a diretora da escola, afinal ela não tinha tempo para ir até a escola, mas eu traria a ela tudo o que fora tratado) e como tal era respeitada e ouvida.

Das pessoas que cresceram comigo, que tiveram os mesmos parâmetros de educação e com quem ainda mantenho contato...todos sobreviveram, são ótimos cidadãos nunca mataram, roubaram, ou atearam fogo a alguém.

Agora chego a constatação que a culpa de tudo (sim tem que existir um culpado) é dos tais estudiosos de comportamento que ficam sugerindo Leis que ao invés de ajudarem só atrapalham. Entendo que seja crime uma criança trabalhar em uma mina, ou sem os devidos meios de garantir sua integridade física.

Mas antes dos 16 anos eles já devem saber o quanto custa o dinheiro que eles querem gastar. Mas e o Conselho Tutelar e o ECA? Infelizmente eu acredito que eles foram criados com boa intenção mais fugiram ao propósito.
Afinal um menino de 12 anos preso pela 4ª vez por furto solto logo em seguida para voltar a mesma vida.... Se estivesse trabalhando não aconteceria isso.

Alguém mais vem de família desestruturada (segundo os estudiosos) mas que teve amor, carinho e sobreviveu? Só eu tenho a impressão que essa "proteção" está prejudicando nossa sociedade?

Muita luz e paz!
Abraços
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

4 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

martinha publicou o comentário número:

Bom dia Adelaide tudo bem? Que questão complexa e polemica que vc levantou ein? Creio que não há apenas uma culpado para o problema social que vc indaga? Afinal se o "Homem não fosse o lobo do homem" não precisáriamos do Estado para tentar manter a paz social. É verdade que o ECA dá brecha para que muitos adolescentes continue no mundo do crime, mas sem ele o caos social seria muito maior, pode ter certeza! Eu penso que para que tudo mude e melhore é necessário que os cidadãos tenham mais entendimento para que possa eleger bons representantes politicos, pois assim o Estado terá como agir de forma digna para tutelar seu povo. Beijo e té+

Neli Alves publicou o comentário número:

Eu tive uma família bem estruturada e bons fundamentos, mas convivi com pessoas que não tinham os pais presentes (uma filha de uma prostituta, um filho de alcoolista convicto) e não deixam nada a desejar. São boa mãe e bom pai, tem família, filhos que dão gosto de ver. Todos dois trabalharam desde cedo e nem tinham exemplos na família. Apanhavam, eram surrados mesmo. Maa tinham respaldo da escola e do catecismo. Acho que uma parte da consciência vem do íntimo da pessoa, nasce com ela. A convivência com o mal reforça o comportamento irregular. Não acredito na força do Estado, acredito na ajuda da escola, essa sim, muito importante. Bons professores podem até suprir a falta de um pai/mãe atuante, mas isto é raro hoje em dia.

samantha publicou o comentário número:

minha familia nao era exatamente desestruturada,mas foi partida ao meio quando eu ainda era pequena e ate hj me pego pensando q tin ha tudo pra nao ser uma pessoa honesta,mas por algum motivo,que ainda nao descobri,segui o caminho certo e hj sou um adulto bem formado.criação de filhos é um tema complexo,eu tenho minhas teorias,meio loucas pra alguns,mas acredito nelas...bjs

Duh Franzen publicou o comentário número:

Tema delicado em que cada um tem sua própria opinião.
Eu sou totalmente contra o trabalho escravo ou a exploração infantil. Mas parto do princípio de que todas as crianças precisam aprender a arrumar a sua própria cama, ajudar nas tarefas domésticas e principalmente aprender 'em casa'as regrinhas básicas da boa educação.
Saber falar:
'por favor'
'obrigado'
'com licença'
"Num país onde os pais são omissos, as escolas despreparadas e os governantes corruptos...o que podemos esperar das crianças?"

Bjinhos



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias