Como a alta do dólar pode afetar minha vida?

Eu dona de casa, sem sálario,  serei afetada pela alta da moeda americana? 
Sim! A maioria das coisas que consumo são cotadas ou feitas com algo cotado em dólar. Quer um exemplo?
O açúcar que somos grandes produtores e exportadores e o café, tem seu preço cotado em dólar. Além disso todas as embalagens plásticas são produzidas com matéria prima oriundas do petróleo, por isso mesmo que eu não tenha carro (eu tenho) o preço do petróleo influencia a minha vida, e o petróleo é cotado em dólar. E encarece o preço do shampoo(xampu), do refrigerante, da caneta (e olha que eu evito embalagem plásticas ao máximo). Isso sem contar os produtos agrícolas, como tomate e outros que usam insumos e defensivos - que em sua maioria usam compostos importados.
Aí você amiga, pensa mais se eu morasse no sítio e produzisse tudo o que como estaria livre disso? Não!!  Mesmo que você compre um carro fabricado no Brasil, ele nunca será 100% nacional. Nem o teu pão caseiro é 100% nacional. Pois não produzimos trigo o suficiente para o nosso consumo, importamos uma parte.
Preciso pensar na economia, não mais como um assunto para pessoas formadas na área, ou que trabalham em grandes empresas e bancos. Tenho que estar atenta. Isso não é coisa da globalização atual. Começou antes dessa era, na época da revolução industrial (lembra você estudou isso no ginásio...rsrs) quando surgiu a produção em escala e alguns países descobriram que não tinham a matéria prima e começaram a importar.
Olha, eu ainda terei um custo a mais, que vem de um produto que pregam ser ótimo para a saúde, mas que é importado e que eu não vivo sem..... o azeite de oliva extra virgem. As oliveiras não são árvores nativas, até pensei em trocar pelo óleo de coco (a gente produz coco) mas você já reparou no preço? Assim não dá como vou temperar a salada se não terei dinheiro para comprar a salada? E olha que parte da minha salada eu planto na minha horta.
Mas isso tudo reforça ainda mais meu nacionalismo. Precisamos fortalecer nossas industrias, consumir mais nossos produtos, comprar do vizinho, da loja do bairro. Enfim valorizar o artesanal. Assim a gente não paga frete. Já é uma economia de dinheiro e de gases que prejudicam o meio ambiente. 

Tenha um ótima sexta-feira.
Muita Luz e Paz
Abraços


Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

7 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Bia Jubiart publicou o comentário número:

Arrasou Ade!!!

A Dilma que se cuide! A crise já está afetando a economia nacional...

Temos novidades...

Beijoooooooooo

Adriana Balreira publicou o comentário número:

Falou a economista Adelaide! E falou bonito. Estamos é lascados mesmo! Agora que a inflação vai para a estratosfera! A economia vai mal mesmo.
Beijos e que o dolar baixe logo!
Adriana

Joana publicou o comentário número:

Sim, a crise já está batendo a porta.
Fico horrorizada como nesse país não valorizam seus próprios empresários. Meu marido comprou dois tablets (um para mim e outro para ele), direto dos Estados Unidos, pelo Ebay, pagou pelos dois, o equivalente a quase 1/4 do que pagaria a aqui, com despesas de envio e tudo! é mole?
O que estraga isso aqui são os políticos cretinos que temos.
Beijinhos

Josiana Leite publicou o comentário número:

É verdade,olha quando vi o dólar subindo, logo gelei, acho que temos que realmente "voltar", agir e pensar de uma forma simples, optar, pelo menos consumismo, valorizando aquilo que nossa vovó falava, veja as coisas simples, elas tem sua beleza.

Imac by Artes publicou o comentário número:

Concordo plenamente com seu último parágrafo... Nossos produtos precisam ser valorizados, mas conscientizar um povo é difícil.
Abraços! Feliz Primavera pra ti.

LILIANE publicou o comentário número:

oi Adelaide
puxa
como eu aprendo aqui.
e reflito também
na verdade tudo o que estamos vivendo nada mais é que a dança dos dominantes sobre os dominados.
Os dominantes sempre mandaram e desmandaram no mundo, mesmo antes da Revolução industrial e nós os dominados precisamos ser atentos pra não cair na ideologia que eles pregam de consumir, consumir e consumir.

Valorizar o comércio local é sem dúvida um jeito de fazer a economia crescer.
Buscar maneiras de viver mais modestamente, reduz o consumismo e nos mostra que não morremos por consumir menos.

Valeu Adelaide, valeu pela aula de hoje.
Eu chego atrasada sempre, né.
rs

beijos.

Maitê Rodrigues publicou o comentário número:

Oi, Adelaide!
Cheguei aqui pelo Caprichos by Neli (parabéns por ter sido a sortuda a levar o presente da Neli). E acabei ganhando uma lição de economia... Realmente, temos q pensar mais amplamente sobre todas essas questões q envolvem nossas finanças; nada está isolado, nem mesmo o pequeno agricultor q vive no campo e produz quase tudo para seu sustento. Vou voltar,qq hora.



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias