criança e os Palavrões


Eu fui moleque, criada falando todo tipo de palavrões (família do meu pai era muito desbocada), e marido vem de uma família que nunca usa palavrões. Resultado:

Como alguns palavrões faziam parte da minha linguagem usual eu nem me dei conta do exemplo para a minha filha. E continuei usando os dois mais comuns PQuePariu e TomanoC
Belo dia meu bebê (que já falava algumas coisas lindas) estava no banheiro, com o papai que se barbeava, antes de sairmos para deixá-la na escolinha e seguirmos ao trabalho, ela brincava com o sabonete em cima de uma cadeirinha, ao lado dele... para que a mamãe preparesse o café da manhã....de repente ouço o marido me chamar pelo meu nome.............

Gente isso é sério pois eu sempre achei que ele não sabia o meu nome.....No que eu cheguei na porta do banheiro ele fez sinal para eu ficar calada e ouvir. E o Bebê tranquilo derrubava o sabonete no chão e dizia:
- PQuePariu neti PQuePariu !!!
Eu meio sem saber se ria ou chorava, perguntei:
- Meu amor o que está acontecendo?
- O neti  caiu mamãe, PQuePariu!

Nem preciso dizer que após a deixarmos na escolinha, fui até o meu trabalho ouvindo um sermão que dispensa relatos. E fui "Obrigada" a conter-me, pois entendi da pior maneira que o exemplo era o que mais ensinava.

Na hora não valorizei o acontecido para a minha filha por ela ser muito pequena, apenas parei de falar e com o tempo ela esqueceu. Mas nos palavrões seguintes que ela aprendeu com colegas, eu a chamei e expliquei que era importante que ela conhecesse todos os palavrões e que a medida que os ouvisse viesse até mim que eu contaria o que era, mas que ela não deveria nunca fala-los a ninguém.

Deu resultado??? Claro que deu no ano seguinte ela entrou porta a dentro.

- Mãe a *Sali (nome fictício para preservar a criança) me chamou de FilhaDaP.
- E você sabe o que é PUTA? perguntei
- Não!
- Puta é uma pessoa que trabalha em ruas, casas ou bares, vendendo carinho e sexo para pessoas estranhas, algumas fazem isso por terem filhos doentes, ou não conseguem emprego, e ficam sem ter como levar comida para aqueles que amam. Outras fazem isso por não terem onde morar, ou são obrigadas por alguma pessoa que se "acha" mais forte do que elas. Mas tem algumas que até fazem porque gostam. Você entende?
Ela me abraçou e pediu com os olhos cheios de lágrimas:

- Mãe, se a gente não tiver onde morar, ou o que comer, você promete vender roupa, os móveis, mas não vende carinho????

Assim minha filha aos 4 anos entendeu o que é um FDP. E a coleguinha???
Na semana seguinte presenciamos ela xingando a irmã caçula:
- FdP!!
- FdP é você. Retrucou a pequena.

E nós que estavamos os três em casa começamos a rir, pois a minha filha olhou e nos disse:
- Olha lá elas tão falando mal da mãe delas.

Isso tudo para dizer que acredito que não devemos nunca radicalizar, numa conversa podemos esclarecer um monte de coisas e NUNCA devemos julgar os outros. Devemos lembrar SEMPRE de ensinar nossos filhos o respeito ao próximo seja ele quem for. E o que mais ensina é o exemplo. Não esqueça disso.

Muita Luz e Paz
Abraços
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

23 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Orvalho do Céu publicou o comentário número:

Olá, querida
O exemplo nos arrasta.... Necessário post!!!
Bjm de paz e ótimo feriado!!!

Deusa publicou o comentário número:

kkkkkkkkkkkkkk...to ate vendo,seu nenem xigando...kkk...se seu marido for como o meu,deve ter sido um daqueles sermões baixinhos e zangados.
Aqui em casa não xigamos nada,quando muito um droga,mas não e um habito,isso porque minha mãe quando esta muiiiiito furiosa xinga FDP e nos que tentavamos imitar,ja que so ouviamos de vez em quando se tornou interessante,acabamos aprendendo que xingar e castigo estavam ligados,pela experiência mesmo,xingava...sermão,palmada.castigo...kkkk,ate hoje, quando falo qualquer coisa,olho pros lados...sei lá..rsrsrsrs
Deusa
vasinhos coloridos

Imac by Artes publicou o comentário número:

Adelaide querida!
Amei sua postagem. Crianças são muito inteligentes...Sempre trabalhei com crianças,se soubesses o quanto aprendi com elas? É muito lindo!
Abraços e um linda tarde pra ti.

janeladesonho.blogspot publicou o comentário número:

Adelaide primeiro parabéns pelo sorteio na Neli , vc m,erece , depois mostra pra gente .
Bom teve uma época na minha adolecência que eu até falava uns , pois trabalhava com gente muito mais velha e de boca suja , eheheheheeh , coneci meu marido e apesar de ser militarna época não falava , ele por conta do meu sogro que era super bravo , com o tempo fui dispensando e minhas filhas eu numca ouvi falar , mas dias desses , um amigo da minha filha estava com a gente , e nós todos no carro indo passear e ele soltou dois palavroes , meu marido não pesou duas vezes e disse , Gabriel vc escolçhe sabão em pedra ou em pó , e ele porque tio ? POrque se vc falar mais um palavraõ eu vou lavar a sua boca , na hora foi u suspence no fim todos rimos , mas ele não falou mais , hehehhe bjimmm iluminAdo

Iara publicou o comentário número:

Menina adorei tuas colocações, eu sempre disse alguns palavrões, digo até hoje na verdade, e meus filhos volta e meia dizem também.
Mas a diferença é que nunca uso meus palavrões para xingar ou ofender alguém, bem pelo contrário, se discuto a última coisa que digo é um nome feio.
Meus palavrões são mais usados quando derrubo algo no chão, me bato em algum lugar, ou vejo o jogo de futebol (kkkk), então as crianças nunca usaram no sentido de ofender os outros, mas somente assim, como eu.
Claro que quando meu filho virou adolescente,lá ente seus amigos, eles se premiavam com palavras assim, mas neste caso, fazer o que, se eram o dialeto que usavam. Hoje é difícil ouvir uma palavrão deles, desde que o futebol esteja longe da TV.
Abraços

Lauisa Sousa publicou o comentário número:

Oi querida..vim parabenizar vc pelo sorteio da Neli..parabéns..olha só aqui em casa meu pai xinga muito...principalmente assistindo jogo de futebol, graças a Deus meus filhos não falam não..eu era bem desbocada antes, mas agora consigo me controlar bastante..no máximo um Mrd ou Prr...beijos, adorei o post..muito engraçadoooooooooo

Ia Maluf publicou o comentário número:

Hahaha!

Adorei o post! Aqui em casa nós temos um cofre. Quem fala palavrão tem que depositar uma moedinha. Minhas filhas já são grandes e a mais velha começou a falar tanta bobagem que nós optamos por uma maneira engraçada e divertida de conter as cobras e lagartos que andavam escapando pela boquinha dela. Ela é um amor, não xinga ninguém, respeita todo mundo. Os palavões eram só interjeições entre uma frase e outra, coisa de adolescente. Melhorou bastante e nós demos boas risadas!

Bjs
Ia

Caroll publicou o comentário número:

Adelaide,
Achei super certo,vc dar essa explicação para sua filha.
Os pais tem mania de falar "não pode falar, isso é feio" e a criança fica sem entender,já que ouve eles falando.
Abraços

Mayara publicou o comentário número:

Oi Adelaide! Antes de ter filhos vou ter que fazer que nem minha mãe falava quando eu era criança: lavar a boca com sabão!!! rsrsrs Um abraço e ótimo texto!

Bibia Bueno publicou o comentário número:

Hahaha!
Eu não sou muito estressada com palavrões, mais com assuntos desnecessários perto da criança. :)

Beatriz! publicou o comentário número:

Adorei o post amiga.
Vc fala sempre de maneira simples e clara com sua filha.
Procuro fazer isso com meus pequenos também.
Assim a educação flui melhor.
Bjs...

Beatriz! publicou o comentário número:

Adorei o post amiga.
Vc fala sempre de maneira simples e clara com sua filha.
Procuro fazer isso com meus pequenos também.
Assim a educação flui melhor.
Bjs...

Eva publicou o comentário número:

Adelaide que maravilha tua visita, estava com saudades, mas o blogger insiste em dizer que não sigo ninguem hehe, então nao te achava, hoje vou colocar na lateral do blog, assim venho mais seguido ler esses textos cheios de vida que você escreve, eu a-mei! Parabéns pela naturalidade com que você educa sua filha, você não se fecha para aprender também e eu acho isso perfeito, beijos grandes.Ah, o exemplo verdadeiro ensina mesmo e criança sabe quando é verdade.

Josiana Leite publicou o comentário número:

Muito bom, vender carinho, kkkkk, to rindo até agora, muito bom, filho falando mão não vende carinho, kkkk, Ótimo texto querida.

Beatriz! publicou o comentário número:

Obrigada querida.
Graças a Deus ainda existem pessoas que valorizam a profissão de professor!
Um forte abraço.
Bjs....

Cissa Branco publicou o comentário número:

Adelaide,

Aqui jogamos limpo, tentamos esconder algumas coisas mas não teve como, a realidade mostra, então antes que aprenda errado na rua, sentamos e explicamos, sempre levando em conta o respeito e a tolerância. Adorei o post.
Beijos

Fabi Leuck publicou o comentário número:

Olá Adelaide..acabei de conhecer o teu cantinho..adorei muito o post e tudo por aqui,teu blog é supr fofo..agora estou seguindo..bjos!

http://fabisilvaleuck.blogspot.com/

Néia Lambert publicou o comentário número:

Adelaide, é impressionante a facilidade com que as crianças assimilam e gravam tudo que lhes caia no ouvido.Sendo assim, melhor cuidarmos mesmo do que falamos pois estão sempre muito atentos.

Beijos

Cíntia publicou o comentário número:

Olá Adelaide!Muito legal o post!
Aqui em casa ninguém fala palavrão,hummm esqueci de um detalhe,quando tem jogo e o São Paulo está perdendo aí rola um ou dois por parte do marido rsrsrs e só!
Beijinhoss e parabéns pelo sorteio que ganhou lá na Neli.

Aaliyahrj publicou o comentário número:

Oi, Adelaide! Indiquei vc p uma tag. Sinta-se a vontade p n fazê-la!
Bjoks e boa semana!

Paula...(Cotidiano de uma Amig@) publicou o comentário número:

Mas que lindinha! Aos 4 aninhos e tao esperta...agora já uma moça, com uma base familiar maravilhosa!

Aqui em casa não falamos palavrões, sou bem radical quanto a isso, mas o marido...nervoso com alguma coisa solta alguns, quase tenho um siricutico!

Nossas crianças nos tem como exemplo pra TUDO!! As minhas são assim...me tomam como exemplo até nos pequenos detalhes.

Beijoss queridona!!

Dany, Danielle publicou o comentário número:

Falou tudo: nada educa mais que o exemplo.
Vim conhecer seu blog e estou te seguindo pra poder voltar mais vezes.
Beijos e bom FDS.

Dany, Danielle

Pepa publicou o comentário número:

É verdade aquela máxima né ?
Palavra convence e exemplo arrasta, rsrsrs
Mas achei lindo a parte que ela disse prá vender roupa, mas não carinho !!
Nossssa, muito forte isso !!

Adorei esse post.

Bjus 1000



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias