Esmalte + Educação

Na semana passada eu até pintei azunhas mas confesso que não me animei a fotografá-las, visitei algumas amigas que participam da Blogagem Coletiva e vi as maravilhosas fotos e relatos feitos por cada uma.

Hoje no Tema Esmalte + Educação trouxe um texto lindo, que conheci, para lembrar das minhas primeiras professoras, minha mãe que me alfabetizou aos 4 anos, e também me ensinou muuuuito, a Dna. Vilma (já falecida) foi minha  professora na minha primeira serie primária (agora ensino fundamental...não adianta mentir idade.....) como eu já sabia ler, escrever e fazer conta, ela não passava na minha carteira para pegar na minha mão, e é claro que eu não queria mais ir para a escola, pois ela me ignorava....Mamãe precisou ir até a escola falar com a Profê....que me nomeou sua ajudante, então eu fazia sozinha, e depois acompanhava ela para ensinar os coleguinhas e assim fiquei feliz... Mas o pior estava por vir...como já sabia terminava antes, (sempre) e começava a conversar com quem tivesse por perto. Estudei sempre com as professoras mais bravas, no período da manhã (que era o periodo forte - ahhh! na época tinha isso, de manhã era mais puxado e mais exigido do que no periodo da tarde) Todas foram verdadeiras heroinas.


Sabedoria de professora (fonte: Aqui)
A professora primária, após o seu horário de aulas, conversava com um menino, que reclamava muito dos colegas e por isso não tinha amigos.
O garoto lhe disse:
Eu não suporto o Francisco. Ele é exibido e orgulhoso só porque o seu pai tem mais dinheiro que os nossos.
Mas ele é alegre e participativo, falou a mestra.
E a Cininha? Parece que tem o rei na barriga. Tá certo que ela ajuda as colegas mais atrasadas a fazer suas lições, mas é chata.
O Sebastião vive se exibindo, só porque ele é o mais forte da classe.
Lembre-se que ele salvou duas colegas que estavam sendo assaltadas, arriscando a própria vida, argumentou a professora.
Mas é exibido! Disse o menino.
A classe tem 40 alunos e a escola quase mil, disse a educadora, e você não tem ninguém de quem goste?
Não dá, professora. Eu não suporto gente fingida, egoísta, orgulhosa...
Mas ninguém tem nada de bom?
Tem sim, professora, mas tem muita coisa ruim também.
A mestra pediu que o aluno a acompanhasse. Pegou um pouco de açúcar na cozinha e um pouco de areia no pátio.
Foram até o fundo do quintal, onde ela misturou o açúcar cristal com a areia e colocou perto de um formigueiro.
Depois de alguns minutos uma formiga descobriu o açúcar e avisou as demais.
Em pouco tempo fizeram um carreiro e a professora deu uma lente de aumento ao menino que, surpreso, percebeu que as formigas carregavam apenas os grãos de açúcar, desprezando a areia.
Todos as pessoas são como esse montinho de areia misturado com açúcar, disse a sábia educadora. Sejamos sábios como as formigas.
*   *   *
Verdadeiro mestre é aquele que atende às necessidades de aprendizagem dos seus educandos de maneira abrangente.
É aquele que entende que seu compromisso não é apenas passar instruções de forma automática, mas ajudar seus aprendizes a lidar com os próprios sentimentos. E isso não é difícil, como pudemos perceber na história narrada.
Lamentavelmente, alguns professores se candidatam ao cargo sem a menor preparação para esse grande mister que é a educação.
Muitos que lecionam para a infância, não se dão conta da excelente oportunidade que têm nas mãos, que é a de construir um mundo melhor, a partir daqueles olhares atentos e mentes predispostas que lhes estão sob a responsabilidade, durante várias horas por dia.
Desejamos a construção de um mundo melhor. Mas é preciso que haja uma comunhão de esforços, e aqueles que dispõem de mais oportunidades para esse intento são os educadores, pois trabalham diretamente com as almas humanas.
Assim sendo, vale a pena meditar na grandeza que essa abençoada profissão representa no contexto geral de uma sociedade.
Vale a pena compreender que Deus espera que cada um desses missionários da educação semeie nas mentes e nos corações infantis as sementes de luz, que um dia iluminarão a Terra inteira.
*   *   *
Incontestavelmente, o futuro repousa nas frágeis mãos da infância.
É preciso colocar-lhes nos corações as sementes de amor para que possam semear a paz e a harmonia do porvir.
Ensinar a grandeza do perdão e da honradez se faz tarefa de urgência, pois não se pode colher onde não se haja plantado.

Redação do Momento Espírita baseado em história de autoria desconhecida
Em 19.05.2011.


Ah! minha foto com esmaltes é com o ursinho da minha filha, pois eu faço muitas roupas para ele, e minha filha é a minha professora do momento, aprendi com ela paciencia, e tenho exercitado TO-DOS-OS-DIAS as vezes fico a ponto de explodir, mas hoje consegui resistir e entendi que ainda estou em treinamento de Paciencia e Tolerância.

Dedico esse post a minha querida Beatriz cujo Blog ela mostra seu trabalho na educação infantil clica aqui e confere. E a amadissima Cintia do blog Coisinhas da Cintia que é alguem que ensina muito. Pessoas que encontram o açucar em meio a areia.

Ah! o Esmalte é o Happy da Ana Hickmann.

Muta Luz e Paz
Abraços

P.S.: Quer ver mais homenagens as professores e professoras da vida, passa no blog da Fernanda Reali, as meninas estão colocando coisas lindas.
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

17 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Beatriz! publicou o comentário número:

Que lindo texto sobre ser professor.
Amei. Obrigada pela linda postagem, obrigada pela visitinha, pelos parabéns!
Já ri demais, quanto aos cones e as crianças. Mas na real a primeira volta que dei, quando cheguei os próprios meninos se encarregaram de subir na calçada e dar uma pausa no jogo de futebol. kkkk.
Bjs...e ótimo domingo.

Paula...(Cotidiano de uma Amig@) publicou o comentário número:

Post encantador amiga! De enternecer o coração. Valorizar o educador, é preciso!

Lindo esmalte! Mãos tão delicadas.

Beijosss

Zizi publicou o comentário número:

Oi Adelaide,estou um pouco quieta hj.
adorei seu post. bjos
Zizi

Ia Maluf publicou o comentário número:

Que texto lindo!

E as fotinhos com o ursinho da sua filhota ficaram ótimas! Vc que fez a roupinha? Ficou um encanto!

Nossos filhos são realmente ótimos professores!

Bjs
Ia

Josy publicou o comentário número:

Adorei o texto Adelaide, verdadeiro, e nos faz refletir sobre o respeito com o próximo. O esmalte está lindo amiga, gostei muito.
Quanto a sua pergunta sobre a batata, sim, a mandioquinha, a baroa e a salsa são da mesma familia, pode substituir por ela sim...bjos um excelente final de semana bem doce...

Anônimo publicou o comentário número:

Ti fofa azunhas da minha amiga. Achei o maximo vc fazer as roupas do ursinho da tua filha.
Bom eu aqui nao tenho filhos para treinar a minha paciencia visto que a minha vive longe de mim, mas eu depois de 7 anos aqui ainda faco esse trabalho de praticar a paciencia e a ser beeeemmm tolerante. Os japas nao sao faceis.

Beijos e bom domingo minha querida amiga

Monica

Simone Scharamm publicou o comentário número:

OI, Adelaide,
Amei esse texto! Lecionei por muitos anos, foi o período mais bacana da minha vida!
Um beijo!

AnaCristina publicou o comentário número:

parabens pela homenagem! a cor do esmalte ta linda..e o ursinho sou suspeita, pois adoro ursos!

tambem participo da coletiva:
http://anacristinap.blogspot.com/2011/10/blogagem-coletiva-de-esmaltes_14.html

bom domingo, bjo bjo

Bia Jubiart publicou o comentário número:

Adorei o texto!
As unhas! E o tema! Falar de educação e praticar neste país nunca é demais...

Ade, Uum bom domingo in family!

Beijãoooooooooooo

Neli Rodrigues publicou o comentário número:

Que texto lindo e verdadeiro.
Ninguém é perfeito, mas todos tem suas qualidades.
Linda homenagem aos professores.
Bjs♥

Chris Ferreira publicou o comentário número:

Oi Adelaide,
que emoção ser alfabetizada pela prórpia mãe!
O texto é lindo, emocionante e verdaeiro.
A cor do esmalte também ficou bem legal no foto co o ursinho da sua filha.
Essa BC está, mas uma vez, sensacional. Estou amando particiar.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Betty Gaeta publicou o comentário número:

Oi Adelaide,
Adorei a estória da areia e o açúcar, não conhecia. Vou guardar no coração.
Obrigada pelas palavrinhas carinhosas lá no blog.
Beijos 1000 e uma semana maravilhosa para vc.

www.gosto-disto.com

Kinha publicou o comentário número:

Adelaide, esse texto está lindo e a história da professora é uma verdadeira lição de vida.

Ly Mello publicou o comentário número:

Oi querida, lindo post e amei a cor da unha!
beijocas e uma linda semana!

Néia Lambert publicou o comentário número:

É Adelaide, você não foi uma criança qualquer mesmo,assistente da professora logo na primeira série? rsrsrs
Adorei o post!

Beijos

Cissa Branco publicou o comentário número:

Adelaide,

Lindo texto. Eu também estudava no período da manhã, porque era terrível e só as professoras bravas me seguravam, viu, depois reclamo do meu filhote.
Adorei as fotos das unhas com o urso da filhota.
Beijos e parabéns a todas as professoras.

Mayara publicou o comentário número:

Oi Adelaide, tive o mesmo problema que você, que me fez lembrar de um episódio trágico-cômico da infância: a professora deus os parabéns para uma coleguinha ( no pré) porque a mãe dela havia comentado que ela tinha lido uma placa na rua Oras, eu aprendi a ler com três anos e nunca ganhei elogio na frente da sala inteira, fiquei numa ciumeira tão grande que até hoje lembro da cena rsrsrs



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias