Magrinhos x Gordinhos

Passeando pelo blog da Megasuperhiper blogueira Fernanda Reali e deparei-me com uma programação para a semana da criança, e é claro que me animei a participar, dando a minha contribuição no melhor estilo Eu sei....

Quando decidi ter minha filha, conversei com o marido e optamos por mudanças radicais em nossa vida, passou a ser parte integrante de nossa dieta, comida que faz bem, só depois podíamos comer o que gostávamos e fazíamos isso em conjunto os três, o marido que tinha algumas restrições a determinados alimentos começou a inclui-los na dieta, e assim aquele bebê que nasceu com 53cm e 3.800kg, corado e lindo, tornou-se uma criança que despertava elogios nos restaurantes que frequentávamos, pois ela sempre fazia um generoso prato de saladas. E sempre manteve um corpo enxuto (não esqueletico) com formas definida e belas dentro do padrão estético atual.

Já entre as crianças com quem ela brincava na infância, permitiram-me observar que, as mais gordinhas eram justamente aquelas cujo os pais tinham hábitos ruins, não presavam a boa nutrição do organismo, ou por "facilidade" faziam miojo e comida congelada.

Tínhamos um ritual, na sexta-feira á noite podia tomar refri (só após terminada a refeição), eu chegava as 19h e preparava uma salada bem colorida com macarrão, atum, cenoura e acelga. Arrumávamos a mesa e tomávamos a bebida em taças de vinho tinto (eram as únicas que eu tinha na época...rsrs)

Recordo-me de uma vez que uma amiguinha estava em nosso apartamento e a convidamos para ficar para o jantar, ela concordou. Antes de servir o jantar, ao ser questionada (pela amiguinha) sobre qual seria o prato a ser servido, respondi:
- Comida
- E se eu não gostar? perguntou ela
- Você come apenas um pouquinho que colocarei em seu prato, ao terminar você me agradece, elogia e não repete. - determinei

Gentem ela comeu repetiu e se divertiu um monte, o detalhe mais incrível foi quando a mãe achou que ela estava demorando e foi buscá-la, ao atender a porta eu lhe mostrei que ainda estávamos jantando se ela queria acompanhar e a filha dela falou:
- Vem mãe a salada está deliciosa!

Ela arregalou os olhos e falou:
- Mas você não gosta de salada!
- É mãe mas você não faz salada.

Então a mãe encabulada, justificou que o marido não gostava de salada por isso ela não fazia. Deixo aqui a reflexão. Até onde temos responsabilidade pelos nutrientes ingeridos pelos nossos pequenos? Eu acho que é toda a responsabilidade, dos pais. Pois para que ensinemos aos filhos precisamos dar o exemplo. Você que está lendo vai dizer:
- Eu não tenho tempo. 

E eu vou responder que eu também não tinha. Saia de casa as 7h e voltava as 19h com minha filha que ficava o dia inteiro na escolinha, desde os 4 meses. Mas mesmo assim assumimos a responsabilidade e dávamos o exemplo a noite e aos finais de semana. Eu poderia compensa-la com comida ou presentes, afinal eu ficava muito ausente. Mas preferi dar-lhe saúde.

E você já parou para pensar que as crianças do mundo estão cada dia mais obesas, e com certeza a culpa é do adulto que tenta compensar algo, premiando as crianças com alimentos cheios de acidulantes, conservantes, corantes e outros ..."antes", sem contar no alto teor de açúcar e de gordura.

Vem comigo, vamos dar um basta nisso, nossos filhos podem ser gordinhos, mas tem que ser saudáveis e isso só se consegue com uma boa nutrição do organismo. É só a gente gastar um tempinho e fazer uma salada bem colorida, comer juntinho todos a mesa, com seu melhor copo/pratos/talheres e uma bela toalha. Isso para mim é um premio. Não acha? As crianças adoram.

Lembre: Criança bem nutrida, aprende com maior facilidade. E diverte-se bem mais. Pois não terá que ficar horas e mais horas estudando para a prova.....rsrs

Muita Luz e Paz
Abraços
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

8 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

eu, Lila Cassini publicou o comentário número:

Eu tenho uma grande preocupação com a alimentação da minha Valentinna. Porque ela quando bebe e até os 4 anos não comia nada. Foi uma luta. Hoje ela aceita tudo... depois de uma boa conversa ela aceita experimentar cores e sabores. Não quer dizer que coma de um tudo... mas ja come até quiabo. E eu fico super feliz com isso.
Adorei o post. Beijo grande, Lila

patty publicou o comentário número:

É verdade! Eu voltei à infância e vou recomeçar do zero! Cresci comendo comida saudável, nada de refri, de bala ou besteira. Ontem comi um prato de alface antes do macarrão, na janta. E o molho do macarrão foi feito com tomates frescos, azeite de oliva, cebola, orégano e mais nada. O macarrão veio da Itália, claro:) Mas é uma boa inspiração, né? Bjs.

Bárbara Rezende publicou o comentário número:

Super verdadeiro... mas infelizmente o que passei aqui em casa é que minha filha quanto pequena comia de tudo e mais um pouco mas depois que cresceu não gosta de mais nada...

bjks e uma semana abençoada

Néia Lambert publicou o comentário número:

Oi Adelaide, sem dúvida, quando os pais tem uma alimentação saudável, isso reflete nos hábitos dos filhos também. Exemplo é tudo!

Beijos

Lola publicou o comentário número:

É verdade vc tem toda razao, uma das coisas que até hoje me espanta é que aqui no Brasil a grande maioria das crianças não tomam água. Suco ou refrigerante, água nas refeições nem pensar.
Amei ter lido seu post.
Beijao
Lola

Ia Maluf publicou o comentário número:

Você é um exemplo a ser seguido! Criança tem que aprender a comer em casa mesmo!

Minha filha Nina nasceu vegetariana - eu não sou vegetariana (só como muito pouca carne)> Mas a Nina nunca gostou de carne. Sempre foi amiga das verduras e frutas. Precisei aprender muito sobre alimentação para que nada faltasse no cardápio dela. Não foi fácil mas hoje eu agradeço a ela o trabalho que eu tive. Nós quatro temos uma alimentação super saudável e eu virei uma enciclopédia sobre ferro e vitamina B (pela falta de carne na dieta da Nina).

Parabéns mais uma vez pela consciência. Se mais pessoas pensassem como você o mundo teria menos obesos.

Bjs
Ia

Cissa Branco publicou o comentário número:

Adelaide,

Post ótimo. Aqui temos diversos problemas na hora de alimentar o pequeno, ele não come de tudo, até hoje não come pure de batata e nada nessa consistência, mas sempre tem um legume ou uma verdura presente. dificilmente fazemos frituras e tudo é muito controlado no sal e no óleo, abusamos em outros temperos, como cebolinha, manjericão. Eu não gosto de alface, mas sempre que vamos ao supermercado o Felipe corre e pega um pé, e assim vamos indo, não o obrigo a comer de tudo, mas exijo que se alimente bem.
Grandes beijos

Palavras Vagabundas publicou o comentário número:

Adelaide, você fez certissímo. Aqui em casa também adotamos que refrigerante só no fim de semana, mas não em todo o fim de semana, ou seja bebeu na sexta, não tem no sábado e às vezes nem no domingo. Foi assim com minhas filhas e é com minha neta, o melhor é que ninguém reclama e uma das minhas filhas, que não gosta muito de suco, até hoje bebe água até em restaurantes. Além de que sempre servi comida saudável, não sou radical, vez ou outra até podia pintar um miojo, mas com cara de yakissoba com legumes picadinhos, rs
bjs e boa semana
Jussara



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias