Preconceito

Bem já contei para você várias vezes que eu enfrentei a discriminação nos meus primeiros anos escolares, devido a uma cicatriz na mão (as outras crianças na hora de brincar de roda não queriam pegar na minha mão, então quem fazia era a professora) - também já te contei que sou brasileira 25% (papai = negro+bugre e mamãe = Italiano+português), nunca tive saco para piadas e demais camuflagens de pessoas que se acham. Antigamente soltava o verbo, hoje me contenho e na medida do possível dou um repique sutil.

Ontem eu estava aguardando o ônibus com a filha para acompanha-la até o colégio, quando duas mulheres chegam e uma fala em alto e bom tom:
- Você sabe que eu não tenho preconceito nenhum....(frase que SEMPRE antecede colocação preconceituosa), mas ontem entrou um negão e foi logo abrindo as janelas, ele tava de moletom mas a gente ficou sofrendo no vento.

Minha vontade era virar e questionar se ela falaria da mesma maneira caso fosse um outro cidadão, tipo assim:
"........e entrou um brancão.... ", mas me contive, entramos no ônibus (que eu nunca deixo as janelas fechadas pois sei da disseminação de meningite e outras doenças virais....e dei sorte de sentar-me a janela e a pessoa em questão (vestida com uma regata as 07h da manhã, tempo nublado - frio) sentou-se no banco logo atrás de nós, então a BRANCA aqui escancarou a janela e falou para a filha em um tom que quem estava ao redor ouviria.
- Vamos abrir as janelas para evitar a disseminação de gripes, meningites e demais doenças, né filha.... 
E sorri para minha filha, que entendeu bem a mensagem, quanto ao vento um pouco ficava em nós e o restante ia direto para o banco de trás. Eu poderia ter aberto menos a janela, mas não consegui estava engasgado.....

Quando ouço a frase típica para serviço mal feito:
- Fez trabalho de negro!
respondo:
Então fez algo maravilhoso, pois papai era negro e olha que maravilha conseguiu reproduzir. E sorrio, mas não gosto. Veja eu não fico magoada, mas sei que tem pessoas que vão se sentir inferiorizadas por ouvir um comentário destes e talvez seja determinante em sua vida. Talvez exista alguém por aí sentindo-se diminuído e sem valor de tanto ouvir este tipo de comentário. Línguas ferinas ferem muito mais e deixam cicatrizes mais profundas do que imaginamos. 

Hoje eu gostaria que o mundo pensasse sobre esse tipo de coisa, afinal:
  • Eu não sou a cor da minha pele (atualmente estou alva.....dada a falta de sol).
  • Se você não pretende fazer sexo comigo, não interessa se eu gosto de meninas ou meninos, isso só diz respeito a mim e a quem faz sexo comigo.
  • Se não estamos tentando negociar nada, de que te adianta saber de minhas posses materiais? Nada sou apenas essencia, não sou objetos.

Deverás
Amar a teu próximo como a ti mesmo....e próximo são todos independentes de credo, COR, classe social ou orientação sexual.

Antes de qualquer ação ou comentário a quem quer que seja, e onde for.  POR FAVOR seja educado.  

Educação vem de casa, de berço. E vale ouro.

Vem comigo, vamos mudar o mundo!

Muita Luz e Paz
Abraços
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

12 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Duh Franzen publicou o comentário número:

Bom dia Adelaide.
E quando chamam loura burra, eu tbm fico chateada, não suporto nenhum tipo de discriminação.
Afinal todos são iguais perante Deus!

Bjinhos

Anônimo publicou o comentário número:

Oi Adelaide,
um texto com preconceito de ambos os lados...

mas o q eu acho pior são as crianças. Nessa idade ou elas nao tem noção do q fere/ chateia o outro, ou não são orientadas em casa, ou não tem um pingo de humanidade - realmente não sei, so sei q se alguem ensinar elas aprendem rapido tb.
Aqui em casa temos um exemplo classico dessa "maldade infantil + reeducação social" q sempre tiramos de letra: meu irmão falava um A e a irmã mais velha e maior arrancava o olho de quem o incomodava...Simples e sempre deu certo, aprenderam a aceitar do jeito q ele era...

Adriana Balreira publicou o comentário número:

Adelaide,
Essas coisas de preconceito sempre vão existir, infelizmente. Não podemos mudar isso assim tão rápido. E acredito que já seja da natureza humana isso. Só que muitas vezes não verbalizamos. O ruim disso tudo é que gera violência e muita!! É um assunto delicado de ser tratado.
Mas vamos fazer nossa parte e pronto! :)
Beijos
Adriana

Angela publicou o comentário número:

Adelaide tenho uma filha de 9 anos com uma cicatris de 30 cm exposta no braço direito,e criança é maldosasim!No ballet elas apontam,cochicham,e esses dias minha pequena disse que gostaria de ir com blusa de manga,entendi a mensagem,mas disse para ela nçao se envergonhar da cicatriz e sim se orgulhar de ter os movimentos perfeitos depois do acidente!
Eu acredito sim que preconceito vencemos nos assumindo!E defendendo nossos valores.
Ótimo final de semana.Bj

Ariane Cattuzo publicou o comentário número:

Ola Querida, infelizmente essa sociedade tem preconceitos com tudo negro, banco , magro, gordo, tudo é motivos até se uma pessoa manda nossa pronto vira centro das atenções. Eu sou uma gordinha assumida sei muito bem o que ser ofendida por pessoas que me julga, elas esquecem que dó pó viemos e viraremos pó, fique tranquila DEUS está cuidado de nós. Beijos adoro seu blog

KINHA publicou o comentário número:

OI...
QUANTO TEMPO NÃO VENHO AKI COMENTAR...MAS HJ NÃO PODIA PASSAR BATIDO...
EU SOU A BRANQUELA DA FAMILIA...RS...MINHA MÃE TMBM É BRANCA MASI EU SOU MUUUITO MAIS...
MEU PAI ERA MORENO COM FORÇA...RS...
AKI QUEM SEMPRE SOFREU O PRECONCEITO FOI EU...TIPO:NOSSA...VC BRANQUELA DESSE JEITO É FILHA DO ZÉ?!?
NÃO ME INCOMODA...MAS ISSO É CHATO NÉ GENTE...PENSE,JÁ QUE NÃO POSSO FAZER NADA...MAS DIZER PRA QUE?
ISSO É COMUM...MAS FICO INDIGNADA COM PRECONCEITO....
BJINHOS E ATÉ MAIS...

AUDENI OU Dona Mocinha publicou o comentário número:

Oi Adelaide, tudo bom?

O preconceito existe desde que o mundo é mundo, e sempre vai existir.
O que faz muita falta nestes tempos é educação e respeito. Vc. pode não gostar ou não querer algo, mas tem de respeitá-lo, e isto se aprende em casa!
Infelizmente a educação de berço não existe mais, os pais delegam a educação dos filhos as escolas e ao mundo.


Beijos e um ótimo final de semana


Audeni

Josy publicou o comentário número:

Adelaida, acho muito feio o preconceito, pois sofri muito com isso qdo criança, meu pai era branco, e minha mãe mulata,apesar de ser bem clarinha, puxei os cabelos de minha mãe, super crespos, sofri muito qdo criança pois a maioria das meninas tinha cabelos lisos, e riam muito do meu, claro que hoje isso nao me afeta mais, mas toda familia deveria ensinar seus filhos a respeitarem o amigo, ou amiga e fazerem ele entender que ninguém é melhor que ninguém nesse mundo, que somos diferentes, mas somos iguais na essência. Mas infelizmente o preconceito sempre vai existir, por que mesmo aquela criança que não fala nada acaba sendo influenciada pelos pequenos maldosos. Vou te mandar um email, se eu achar sobre o racismo, se vc não conhece ainda vc vai adorar. Bjocas...bom fnal de semana

patty publicou o comentário número:

"Eu não tenho preconceito nenhum, MAS". Essa frase é de matar.
Chamar qq pessoa por uma característica física já é um preconceito. Seja loira, alta, baixa, não importa. É o que eu digo sempre: temos nomes por uma razão. Eu só chamo as pessoas pelo nome. Qdo eu lembro o nome, pq às vezes eu troco tudo. Preconceito é o que mais me irrita na face da terra, então vc já deve perceber COMO eu me irrito com frequência, né?
Bjs.

Meri Pellens publicou o comentário número:

Infelizmente muito poucas pessoas pensam antes de falar, sabe? E sai metralhando. Por essas e outras fico feliz em ser surda, já ouvi muito mesmo, e de onde menos deveria.
Beijinho...

Mayara publicou o comentário número:

Falou e disse, Adelaide. Eu sou contra qq tipo de preconceito, costumo até a brincar que sou intolerante à intolerância rsrs Boa quarta feira!



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias