Meu dia de Bailarina...

Não, eu não dancei balé, apenas Lesionei-me tal qual uma bailarina. Na segunda-feira, caminhando de loja em loja pelo calçadão da Rua XV de novembro em Curitiba (cidade que ficou em terceiro lugar com as melhores calçadas do Brasil) eu pisei com a ponta do pé em uma depressão, a dor foi tão forte, que quase perdi os sentidos. Senti como se alguém tivesse pego meu pé e torcido. 

Como uma das minhas especialidades é cair, eu gritei (não sei o que, e nem lembro - mas não foi palavrão) e larguei o corpo todo no chão sem tentar resistir. Abracei a perna esquerda e por ali fiquei alguns minutos que para mim pareciam horas. 

Enquanto minha filha, que estava ao lado se partia de dar risada (eu entendo isso acontece comigo também) - ao se conter, ela perguntou se eu estava bem e como poderia ajudar, levantei sem por o pé no chão e me dirigi até um mesinha que pertence a uns barzinhos que atendem ali. Sentei-me e elevei a perna - chamei o garçom pedi uma agua mineral, respirei e fui tomando a agua aos poucos..... até que minha visão começou a voltar, a nuvem negra da dor sumia aos poucos - e segundo minha filha meus lábios voltaram a ter uma cor.

Quando olhei para o lugar exato onde cai, não podia acreditar, tão pequena era a depressão onde meus dedos ficaram presos causando-me tamanha dor. Recuperada tentei colocar o pé no chão e percebendo que a dor já não era tão forte, caminhei até um ponto de taxi, onde haviam 2 (dois) carros estacionados, mas os motoristas não estavam nem dentro, quem dirá por perto. Eu fui abordando todos na rua, para saber se alguem sabia dos taxistas até que surgiu um na rua eu me dirigi a ele e contratei uma corrida até a clinica de fraturas mais próxima, que estava fechada - fui a um outro hospital entrei mancando expliquei a situação a recepcionista que me indicou sair do hospital e dar a volta para entrar pela emergência.... Pensei se posso andar até lá, vou para casa. E foi o que aconteceu.
Esse aí em cima é meu pé no feriado, um dia após a torção, um pouco de dor mais nada desesperador. Como conseguia andar creio que não quebrei.
Aqui, para você conseguir comparar um e outro a lesão foi apenas na parte do tornozelo, hoje quase indolor, mas ainda não estou dando bobeira. Estou com a perna elevada e caminho apenas o básico do quarto para a sala, do sofá para o banheiro e mesmo assim bem devagarinho. Se amanhã a coisa ainda não estiver boa lá vou eu enfrentar a emergência. Por enquanto Dra. Adelaide (no exercicio ilegal da medicina) decidiu que pode esperar e fazer bastante escalda pé e spray anti inflamatório.

Bem estou contando está longa história para ilustrar o seguinte:

Outro dia conversando com o "Criador" eu agradeci por ele me permitir caminhar por tudo, que eu amo muito isso e sei que ele já percebeu. Mas depois que aconteceu, pensei:

- Tá legal. Você queria que eu desse um tempo e conseguiu. Vou obedecer. 

Por isso hoje estou agradecendo esta pausa em minhas correrias (nem fui atras de emprego ainda), e estou combinando com "Ele" que ser bailarina é uma profissão muito sofrida, vou me reprofissionalizar mas não vou tentar o balé. Acho que "Ele" achou que eu daria muito trabalho para os Anjos da Guarda, isso sem contar nas inumeras promessas para perder toneladas - e tá ligada que "Ele" teria que me emagrecer sozinho....rsrs Afinal eu tento - não tento - tento.

Eu sei, o post foi longo, mas eu ainda quero saber. E você, como está lidando com as pequenas fatalidade que acontecem na vida? Continua se desesperando ou já aprendeu que não adianta. Tem que aguardar. Ficar feliz em ter a chance de poder (depois) correr atras da diferença?

Muita Luz e Paz!
Abraços
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

12 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Imac by Artes publicou o comentário número:

Querida amiga!
Aprendi agradecer a Deus também na adversidade (porque tudo passa)
Desejo-lhes melhoras.
Abraços! Boa noite e um amanhã abençoado.

Fabiana Tardochi publicou o comentário número:

Deus nos dá todas as respostas, todos os conselhos e tudo o que precisamos todos os dias. Nós só precisamos interpretar os sinais.
Se cuida amiga!
Faça a recuperação da melhor forma possível, porque uma segunda lesão sem esta estar 100% é complicação na certa.
Hora de parar e aproveitar os momentos.
Um beijo e melhoras

Turquezza publicou o comentário número:

Menina esperta, pára e pensa, e se cuida mesmo.
Uma vez pisei num buraquinho (parecido com aqueles de golfe) num gramado lindo.
Caí em câmera lenta rsrsrsr Não liguei muito. Eu estava em Pedro do Rio (perto de Petrópolis ou Teresópolis) e vim embora mais tarde para o Rio, de carro. O pé começou a doer e inchar .......
Final da história: gesso porque tinha torcido o pé. Precisava trabalhar e vieram me buscar de carro, depois de três dias, coloquei o pé dentro do tanque de roupa e tirei o gesso todo (trabalhão).
Aí, pisei em falso de novo e tive que ficar 30 dias de gesso novamente e ainda levei bronca rsrsr
Então consertou tudo e nunca mais aconteceu nada, graças a Deus!
Um buraquinho de nada !!!!!! E que estrago !!!!!
Melhoras para você.
Beijos.

Josy publicou o comentário número:

Como comecei a ler primeiramente este post e depois o debaixo, devo-lhe dizer que vc é maluquinha né miga, vc deveria ter ido na emergencia ver esse pé. Esse negócio de nós mesmas cuidarmos do que nos aconetce não é bom viu senhorita!! Espero que o inchaço diminuiu mais e que vc já esteja bem, para caminhar por ai...Beijinhos ( Se eu vejo alguém caindo eu me escracho de rir tbém, é incontrolável hehe)

Keilla Colombo publicou o comentário número:

Eu me ri e depois fiquei com dó...eu me mato assim quase todo dia, sou muito atrapalhada e estabanada....nem vou começar a contar meus causos..rsrsrs

Bjinhossss e se cuida!!!

Geh*** publicou o comentário número:

Olá Adelaide!!
Essa vida de bailarina não está sendo fácil hein!!!
Eita Curitiba, sempre tem alguma coisa a desejar!
É verdade, agente tem que entender os sinais que Deus nos manda, pois nada acontece sem Sua permissão.
Se cuida hein!!!
Eu já aprendi que desespero não leva a nada!!!

bjusssssssssssssss
OBS: Ah havia te dito que ia mandar os livros, mas não vou poder, além da chuva que se encontra por aqui estou pintando minha sala! No sábado te envio!

Néia Lambert publicou o comentário número:

Adelaide, cuide-se menina! Uma torção com inchaço precisa ser averiguada e nada de ficar fazendo arte por aí, rsrs.

Beijos

Zizisantos publicou o comentário número:

Retribuindo a visita! e encontro você com pé machucado!
Temos que entender os sinais, assim eu penso. Quando fissurei o radio (sem ouvir música!) do braço direito em 2010, eu parei pra pensar se valia a pena tanta correria e ansiedade. Foram 28 dias com braço engessado. Logo o direito.
Por isso , Adelaide, vá ao hospital e tire um raio x, só por precaução. Eu fiquei 15 dias com dorezinhas infernais, e achava que nada tinha acontecido.
Vá e tire sua dúvida, é melhor. Assim, você pode ficar tranquila dando banhos com sal no seu pézinho, e colocando bolsa de gelo, também. Alivia, tranquiliza.
Agradecer a Deus, por não ter sido mais grave, é bom, mas sentir os recadinhos que Ele nos passa também!
bjo
Zizi

Lílian Almeida publicou o comentário número:

ô dó gente , se cuida amiga ! E espere no Pai , sempre!
Tenha um dia cheio de coisas boas , e muita paz no coração !
http://casascoisaseoutros.blogspot.com.br/
Beijo no ♥ !

Mayara publicou o comentário número:

Nossa Adelaide, que perigo! E que azar, fiquei impressionada como como seu tornozelo ficou inchado!!! Cuida dele diretinho, hein? Patinhas pra cima rsrsrs

Adriana Balreira publicou o comentário número:

Adelaide,
Ando numa correria tão grande no trabalho que agora foi que fui ver o que tinha acontecido contigo! Que horror! Cair por falta de calçadas decentes, é triste. Aqui em Fortaleza as calçadas tbm estão numa decadencia.
Beijos e melhoras
Adriana



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias