Marido...

Eu já comentei várias vezes que marido é uma pessoa prática, não tem visão lúdica (ou melhor não tinha) ele é divertido, faz piadas, só não consegue soltar a imaginação para aquilo que está aquém da realidade.

A vida vista por ele é o que mostra, não existe fantasias...eu claro sou megamasterplus criativa em imaginar minha vida, tenho um lado lindo de contos de fadas para tudo. Claro que no inicio tivemos grandes divergências....mas com o tempo um contamina o outro com um pouco de si.

Por isso agora sei que....

......embora o pai da Rapunzel tenha prometido ela a Bruxa, para que a mesma não o punisse por ter cometido o roubo criminoso de sua horta. E que ele mentiu para sua amada esposa ao não participar a ela a promessa feita a vizinha. (Essa a história que sempre contei a minha filha na infância, com marido só balançando a cabeça de forma negativa e com um sorriso bobo no rosto...como quem não acreditava no que ouvia - e depois falava que não sabia de onde vinha tanta idéia) Dos livros!! Eu explicava.

Eu sei que a pobre vizinha no intuito de proteger sua filha do mundo cruel, a "guardou" em uma torre. E então apareceu aquele principe estupido, que nunca trabalhou, vive na casa dos pais, de mesada, e quer "resgatar" sua mocinha...... (gente quando vejo muitas notícias de violencia até penso e falo para minha filha que o sonho de todos os pais/mães, seria manter os filhos em redomas de vidro)
Vamos a história....

Rapunzel, que embora tenha vivido excluida do mundo, tem muita força e garra, resistiu a solidão, sem entregar-se a depressão, cuidou do seu corpo, e do seu cabelo, manteve-se linda.

Fato:
- ela não tinha amigas invejosas para ficarem dizendo que ela estava gorda, ou que o cabelo muito longo é over.... nem TV com mensagens escancaradas dizendo que só se é feliz se você usar esta marca de roupa, cosmético ou perfume....

E graças a vizinha solitária, que desejava muito ser mãe, a jovem foi muito bem educada, melhor do que se estivesse ao lado do pai biológico, afinal ele achava certo "roubar" coisas da vizinha, só para atender um desejo de gravida (tinha péssima índole este senhor).

Veja que a determinação e o carater da Rapunzel foi reconhecido até pelo rei que a aceitou para esposa do principe, coisa que normalmente não ocorre com tanta facilidade, aja visto que os nobres devem casar entre si.

E claro que ela sendo uma princesa, teve que aprender a portar-se mediante a sociedade, como falar, com que talheres comer, o que poderia dizer e o que deveria pensar e guardar para si. Aprendeu que ninguem tem nada com o seu pessímo humor pela manhã, que deveria sempre sorrir de modo não exagerado e acenar em retribuição sempre. E perdoar seu pai, afinal ele errou mas merece o perdão (tenho dúvidas até hoje)....

Então com o lado prático do marido: Aprendi que:
- o Pai biológico se fosse a julgamento teria a seu favor que foi sua primeira vez, roubou para alimentar a esposa que estava passando fome, e não queria um filho com deformações físicas(como era a crença na época - e até hoje por alguns...que desejo de grávida tem que ser atendido sob pena da criança nascer com uma mancha estampada em seu rosto do desejo da mãe), tudo atenuante.

Mas eu como boa causadora de polemicas penso que tudo foi causado por sua incompetencia como provedor do lar.....ele poderia ter ido até a vizinha, batido a porta e pedido, afinal ele nem tentou para saber se conseguiria de outra forma que não "roubando"....e grávida com desejo lá é motivo para um ato criminoso???

Então, esta história não dava para contar para a minha filha quando ela tinha 3 anos por isso sempre optei pela minha versão... rsrs

E ainda tenho minhas dúvidas com a defesa feita pelo meu marido, quando a "intenção" do pai da pequena Rapunzel, mas sei lei é lei e tem que ser respeitada. Já que atualizei o conto, deveria te-lo feito na integra. Ou não???

E após 20 anos de casados, olha o bilhetinho que ele deixou em um domingo para minha filha: (fotografei e estou colocando aqui para que fique gravado para a posteridade...kkk



Ele já está começando a ficar mais divertido. Não acha??rsrs

E você como visualiza os contos de fadas? Eu os adoro, mas tenho uma história paralela para cada um deles, sempre os "li" da minha maneira para minha filha....hoje ela ri muito quando conversamos a respeito disto...afinal somente ela teve esta versão priveligiada dos fatos....kkkk Sorte do restante da população cujos pais são "normais". Ou não.......kkkk

Muita Luz e Paz
Abraços


Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

5 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Alessandra Alves publicou o comentário número:

ADOREI seu texto, e a interpretação da estória. Sou mais parecida com seu marido, não tenho muita criatividade, rsrs.
Beijos!
Alessandra

http://ouvindoamusicaaolonge.blogspot.com.br/

Adriana Balreira publicou o comentário número:

Adelaide,
Adorei a sua versão do contos de fada. Nunca parei e pensei nos contos de fada se eram ou não verdade. Escutava quando criança e pronto. E acho que eramos crianças mais felizes e credulas. Acreditavamos nesses histórias.
Mas adorei o bilhetinho do seu marido! Bem humorado ele!
Beijos
Adriana

patty publicou o comentário número:

Eu criei uma visão diferente para os 3 porquinhos, um dia eu conto no blog! Bjs.

Adriana Engelmeyer Bouzan Lopes publicou o comentário número:

Kkkkk...rindo muito....aqui marido nao desenha nem o numero 8,...kkkkkkk

Neli Rodrigues publicou o comentário número:

Adelaide, vc não está só!!
Eu só não fui tããão criativa como vc, mas sempre fui terminantemente contra essa visão dos contos de fada com uma donzela linda, loura e magra, que não tem objetivos na vida, a não ser casar, que jamais estudam e acham que o príncipe encantado será a única e grande solução da sua vida.
Eu sou, assumidamente, feminista, não aceito essas fábulas,kkk.
Um dia precisamos nos conhecer pessoalmente, a gente tem muiiita coisa em comum.
Bjs



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias