Eu assumo sou praticamente uma analfabeta.

Quem diria que eu, aos 43 anos e alguns meses, me descobriria um tanto quanto analfabeta, e olha eu amo ler, leio menos que algumas amigas e mais que a grande maioria dos brasileiros. 
Calma não se assuste eu explico. 
Quando entrei na faculdade de história descobri que para entender alguns autores preciso ler outros, foi assim que li “O Manifesto Comunista – Karl Mark” para entender “Formação do Brasil Contemporâneo – Caio Prado Jr.” 

E nestas férias me antecipei e li “A ética protestante – Max Weber” para entender  “O Homem Cordial – Sérgio Buarque de Holanda”


Um livro leio direcionado para a matéria de sociologia e o outro para Brasil I, em ambas o professor é o mesmo, explica muito bem e nos faz desvendar um mundo novo. Estou começando minha "coleção de livros de história" agora mais do que nunca o passeio por sebos tem sido obrigatoriedade. Comprei mais este.

Ainda leio pouco no PC, no futuro investirei num tablet para facilitar minha vida... Sabe levar o livro para ler na fila do banco, ou qualquer outro tipo de lugar onde vc sabe que terá que esperar. Por enquanto financeiramente o investimento possível é livros usados. Além disso eu estou descobrindo minhas limitações. 


Por exemplo sou muito lerda para escrever e as provas dissertativas de professores que gostam que a gente escreva muito para mostrar que entendeu, me derrubam literalmente. Tenho um professor que nos deixa textos para fazer cópias para facilitar, mas eu tenho muita dificuldade em ler as letras borradas, resultado de tirar cópia da cópia, então me atrapalho muito para fazê-los, sem contar que leio e preciso voltar e ler tudo novamente para ter certeza que entendi...rsrs. 

Aos poucos estou entrando nos eixos. 
Adoro dominar aquilo em que me envolvo. 
Procuro me dedicar ao máximo e ainda não atingi isso, mas vou. 
Ah! Recomecei as leituras recreativas, em breve estarei nos trilhos novamente.


E você já aprendeu a ler em todos os idiomas que existem no português e na nossa literatura?  
Estranhou o quesito idiomas  e português na mesma frase, eu sei que não é uma colocação correta, mas pare e pense comigo, quem lê os clássicos (Jorge Amado, Eça de Queiroz, entre outros) e lê os mais vendidos (dito Best seller), percebe uma diferença tamanha na forma de escrita e na compreensão de um texto, nos primeiros existe uma abundância de palavras e alguns requintes de sofisticação e no segundo parece existir um boicote ao  pensamento, tudo é dito direto demais. Embora o idioma seja o mesmo a tradução mental é outra. Assim me sinto no curso de história.
E isso tem me encantado. 
É um desafio.
 Adoro


Agora me conta, como está você diante dos desafios que a vida apresenta? 
Não tem reclamado muito né?
Sabe que não adianta, o que vale é tentar envolver-se e descobrir uma forma de conseguir evoluir.


Muita Luz e Paz
Abraços
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

1 pessoas me fizeram feliz, falta só você:

Lia Gloria publicou o comentário número:

É Adelaide. Percebo essa deficiência na estrutura e abordagens de pensamento, em livros de grande alcance em número de leitores.
Dizem que o brasileiro está lendo mais. É verdade, mas não leem os clássicos. Os clássicos jamais estarão na lista comercial dos best sellers...

Eu, particularmente, sou seduzida pela abundância de palavras, pelo rebuscamento. É o tipo de leitura que me teletransporta rs

bjs



Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias