Nem só de tristezas se vive a vida....


No post anterior eu contei o quanto tive momentos difíceis 
em todas as áreas da minha vida, 
mas não fiquei guardada em casa....
Sim meu amor, 
sou dessas que faz de conta que está tudo bem 
e sai pela vida rindo e sendo feliz..... 

Sou feliz convicta, como diz uma amiga minha.

Nesse período de atropelos, problemas de saúde, 
dores na alma, despedida de pessoa querida, seguimos vivendo,
 trabalhando e nos divertindo como possível, 
as vezes tentamos até com o impossível.

Mudanças na minha vida de 2015 até agora....
Eu estudei, conheci novos assuntos, li novos livros,
 conheci cidades do Paraná em aulas de campo, 
visitei museus, 
conheci a história da cidade onde moro atualmente,
viajei em férias fui a João Pessoa, Natal e Rio de Janeiro, 
trocamos o carro e comprei duas calças jeans e 3 vestidos, 
esses últimos foi pela internet minha primeira vez, depois te conto o que eu achei.

O mais importante de tudo, 
é que sempre tive minhas irmãs,
 irmão, minha mãe e sobrinhas próximos,
 pelo menos nos momentos de festas tipo aniversário de um ou outro....rsrs 
Minha filha e marido também não se afastaram muito de mim 
(tá isso porque eu não deixei, eu ficava lembrando eles que eu estava bem - como fiz isso? simples, mandava mensagem para a filha pelo Whatsapp "Sua mãe manda avisar que passa bem" pronto logo recebia uma ligação carinhosa...rsrs) 

A vida deve ser leve para ser vivida, 
e se eu não apareci por aqui é por um período
é que na vida real não conseguia sair da minha inércia,
 para lhe dedicar algumas linhas à toa. 

Meu eu estava preocupado em demasia com meu umbigo,
 que ou estava deixando a caixinha de problemas no canto
 e sendo feliz, ou estava parada no meio da vida
 se dando ao luxo de tentar me dedicar ao ócio
 para limpar a mente sem liga-la, 
pois se ligasse poderia doer insuportavelmente.

Quando conseguia um certo tempo para a escrita
 o fiz participando de blogagem coletivas. 
Por enquanto a vida promete ser mais suave e por tanto,
 terei mais tempo para vir aqui
 e também para te visitar e tomar um café no seu cafofo.

Muita Luz e Paz!
Abraços

Nem só de alegrias se vive a vida


Do final de 2015 para cá, enfrentei alguns monstros reais e outros emocionais, psicológicos. Entre os fatos reais foram meus quadros de alergia constante, que me deformavam o rosto, e foi diagnosticado como urticária atópica, estou tomando medicamentos constantes e convivo com a insegurança de não saber quando vou estar na rua e começar a me deformar toda, por isso levo o remédio na bolsa. Na sequencia tivemos infestação de piolho de pombo, mandamos dedetizar a casa e descobrimos um quadro depressivo grave em um membro da nossa família, até convencer a procurar uma psiquiatra e uma psicóloga, foi um árduo trabalho

Até que chegou o ano de 2016 e eu achando que a mudança no calendário poderia fazer minha mente clarear, quando tudo parecia tranquilo nós fomos premiados com dengue, pegamos os três e sofremos muito. Minha sogra adoeceu e veio a falecer, o ano seguiu e eu fiquei um tanto lenta, com muitas dificuldades de concentração, perdi cabelo e engordei nessa brincadeira 10 quilos. Começava a me preparar para a chegada do final do ano, quando em Novembro o filho da moradora do apartamento que fica logo acima ao nosso em Curitiba, decidiu acabar com sua dor de viver e literalmente, saiu dessa dimensão pela janela do 16 andar. Minha filha viu, me mandou mensagem contando eu surtei e queria  muito abraçá-la, o fiz assim que ela me permitiu. Não tenho palavras para descrever o quanto esse episódio me marcou, até hoje lembro e peço que ele tenha encontrado a paz, que a família consiga viver plenamente, apesar da saudade.

E eu que sou chorona, não chorei, sentia um nó no peito e uma vontade de chorar, mas parece que estava travada, minha mente ficou branca não conseguia produzir nada satisfatoriamente

Caminhar estava difícil, tropeçar era fácil, torci o tornozelo e meu professor de Práticas I, desconsiderou meu estágio, a produção de relatórios e me reprovou por não ter entregue no dia os planos de aula por ele solicitados.

Assim começamos o ano de 2017, em DP em Práticas Pedagógicas I, mas beleza vamos levando e ser feliz, até que meu marido marido teve dores abdominais e descobrimos que estava com uma inflamação no intestino, o tratamento para poder fazer o exame e descartar doenças graves o fez emagrecer 10 quilos, me preocupei com ele, estava desaparecendo a olhos vistos. Feito o exame nada preocupante, inflamação curada, alimentação controlada. 

E eu, sem emagrecer nenhuma grama, precisando entregar meu TCC e sem conseguir escrever. E eu, que mergulhei na vida acadêmica como uma forma de investir em mim, comecei a pensar em jogar tudo para o alto, esquecia datas de provas e apresentação de trabalhos e não conseguia ver o obvio na construção do meu artigo. 

Precisava de um filme para me fazer chorar e desbloquear o emocional, vi filmes de guerra, só senti raiva, filme de doenças terminais me torturavam, mas chorar nada. Aí a filha de uma amiga também saiu dessa dimensão por não aguentar a sua dor emocional, não preciso dizer que tudo voltou a tona e o bloqueio aumentou mais ainda.

Depois de torturar minha orientadora, estourando todos os prazos, consegui mandar o artigo e fazer ajustes. Na vida acadêmica, fiquei em dois exames finais e passei, conclui o quarto ano, agora só preciso fazer aquela matéria que o professor me reprovou por descumprimento de prazo.

Tudo isso para você saber que apesar de tudo, principalmente do meu cérebro maluco que somatiza e trava, eu sou feliz, sei que ele faz isso para me proteger, e evitar que eu saia dessa dimensão por não suportar viver. Eu entendo perfeitamente quem faz isso, sei o que acontece quando a dor é demais... 

Eu criei artifícios que nem eu sei como eles funcionam, quando estou nesses períodos sou fria e insuportável, as vezes sou grossa...

Tá sou estupida, mas sou eu sendo eu, me protegendo, me permitindo viver, ou melhor, permitindo que os outros vivam comigo, mesmo que nesses dias eles odeiem isso....rsrs

E assim entro em 2018, escrevendo esse post com lágrimas rolando pois desgraça alheia não está me fazendo chorar, mas pensar no que enfrentamos por aqui me faz chorar litros....rsrs

Veja bem, contei somente os fatos relevantes, tem um monte de pequenas coisas que não relatei. 

Não perca o post seguinte vou te contar somente as coisas boas que aconteceram no período.

Muita Luz e Paz!





Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias