Magrinhos x Gordinhos

Passeando pelo blog da Megasuperhiper blogueira Fernanda Reali e deparei-me com uma programação para a semana da criança, e é claro que me animei a participar, dando a minha contribuição no melhor estilo Eu sei....

Quando decidi ter minha filha, conversei com o marido e optamos por mudanças radicais em nossa vida, passou a ser parte integrante de nossa dieta, comida que faz bem, só depois podíamos comer o que gostávamos e fazíamos isso em conjunto os três, o marido que tinha algumas restrições a determinados alimentos começou a inclui-los na dieta, e assim aquele bebê que nasceu com 53cm e 3.800kg, corado e lindo, tornou-se uma criança que despertava elogios nos restaurantes que frequentávamos, pois ela sempre fazia um generoso prato de saladas. E sempre manteve um corpo enxuto (não esqueletico) com formas definida e belas dentro do padrão estético atual.

Já entre as crianças com quem ela brincava na infância, permitiram-me observar que, as mais gordinhas eram justamente aquelas cujo os pais tinham hábitos ruins, não presavam a boa nutrição do organismo, ou por "facilidade" faziam miojo e comida congelada.

Tínhamos um ritual, na sexta-feira á noite podia tomar refri (só após terminada a refeição), eu chegava as 19h e preparava uma salada bem colorida com macarrão, atum, cenoura e acelga. Arrumávamos a mesa e tomávamos a bebida em taças de vinho tinto (eram as únicas que eu tinha na época...rsrs)

Recordo-me de uma vez que uma amiguinha estava em nosso apartamento e a convidamos para ficar para o jantar, ela concordou. Antes de servir o jantar, ao ser questionada (pela amiguinha) sobre qual seria o prato a ser servido, respondi:
- Comida
- E se eu não gostar? perguntou ela
- Você come apenas um pouquinho que colocarei em seu prato, ao terminar você me agradece, elogia e não repete. - determinei

Gentem ela comeu repetiu e se divertiu um monte, o detalhe mais incrível foi quando a mãe achou que ela estava demorando e foi buscá-la, ao atender a porta eu lhe mostrei que ainda estávamos jantando se ela queria acompanhar e a filha dela falou:
- Vem mãe a salada está deliciosa!

Ela arregalou os olhos e falou:
- Mas você não gosta de salada!
- É mãe mas você não faz salada.

Então a mãe encabulada, justificou que o marido não gostava de salada por isso ela não fazia. Deixo aqui a reflexão. Até onde temos responsabilidade pelos nutrientes ingeridos pelos nossos pequenos? Eu acho que é toda a responsabilidade, dos pais. Pois para que ensinemos aos filhos precisamos dar o exemplo. Você que está lendo vai dizer:
- Eu não tenho tempo. 

E eu vou responder que eu também não tinha. Saia de casa as 7h e voltava as 19h com minha filha que ficava o dia inteiro na escolinha, desde os 4 meses. Mas mesmo assim assumimos a responsabilidade e dávamos o exemplo a noite e aos finais de semana. Eu poderia compensa-la com comida ou presentes, afinal eu ficava muito ausente. Mas preferi dar-lhe saúde.

E você já parou para pensar que as crianças do mundo estão cada dia mais obesas, e com certeza a culpa é do adulto que tenta compensar algo, premiando as crianças com alimentos cheios de acidulantes, conservantes, corantes e outros ..."antes", sem contar no alto teor de açúcar e de gordura.

Vem comigo, vamos dar um basta nisso, nossos filhos podem ser gordinhos, mas tem que ser saudáveis e isso só se consegue com uma boa nutrição do organismo. É só a gente gastar um tempinho e fazer uma salada bem colorida, comer juntinho todos a mesa, com seu melhor copo/pratos/talheres e uma bela toalha. Isso para mim é um premio. Não acha? As crianças adoram.

Lembre: Criança bem nutrida, aprende com maior facilidade. E diverte-se bem mais. Pois não terá que ficar horas e mais horas estudando para a prova.....rsrs

Muita Luz e Paz
Abraços


Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias