criança e os Palavrões


Eu fui moleque, criada falando todo tipo de palavrões (família do meu pai era muito desbocada), e marido vem de uma família que nunca usa palavrões. Resultado:

Como alguns palavrões faziam parte da minha linguagem usual eu nem me dei conta do exemplo para a minha filha. E continuei usando os dois mais comuns PQuePariu e TomanoC
Belo dia meu bebê (que já falava algumas coisas lindas) estava no banheiro, com o papai que se barbeava, antes de sairmos para deixá-la na escolinha e seguirmos ao trabalho, ela brincava com o sabonete em cima de uma cadeirinha, ao lado dele... para que a mamãe preparesse o café da manhã....de repente ouço o marido me chamar pelo meu nome.............

Gente isso é sério pois eu sempre achei que ele não sabia o meu nome.....No que eu cheguei na porta do banheiro ele fez sinal para eu ficar calada e ouvir. E o Bebê tranquilo derrubava o sabonete no chão e dizia:
- PQuePariu neti PQuePariu !!!
Eu meio sem saber se ria ou chorava, perguntei:
- Meu amor o que está acontecendo?
- O neti  caiu mamãe, PQuePariu!

Nem preciso dizer que após a deixarmos na escolinha, fui até o meu trabalho ouvindo um sermão que dispensa relatos. E fui "Obrigada" a conter-me, pois entendi da pior maneira que o exemplo era o que mais ensinava.

Na hora não valorizei o acontecido para a minha filha por ela ser muito pequena, apenas parei de falar e com o tempo ela esqueceu. Mas nos palavrões seguintes que ela aprendeu com colegas, eu a chamei e expliquei que era importante que ela conhecesse todos os palavrões e que a medida que os ouvisse viesse até mim que eu contaria o que era, mas que ela não deveria nunca fala-los a ninguém.

Deu resultado??? Claro que deu no ano seguinte ela entrou porta a dentro.

- Mãe a *Sali (nome fictício para preservar a criança) me chamou de FilhaDaP.
- E você sabe o que é PUTA? perguntei
- Não!
- Puta é uma pessoa que trabalha em ruas, casas ou bares, vendendo carinho e sexo para pessoas estranhas, algumas fazem isso por terem filhos doentes, ou não conseguem emprego, e ficam sem ter como levar comida para aqueles que amam. Outras fazem isso por não terem onde morar, ou são obrigadas por alguma pessoa que se "acha" mais forte do que elas. Mas tem algumas que até fazem porque gostam. Você entende?
Ela me abraçou e pediu com os olhos cheios de lágrimas:

- Mãe, se a gente não tiver onde morar, ou o que comer, você promete vender roupa, os móveis, mas não vende carinho????

Assim minha filha aos 4 anos entendeu o que é um FDP. E a coleguinha???
Na semana seguinte presenciamos ela xingando a irmã caçula:
- FdP!!
- FdP é você. Retrucou a pequena.

E nós que estavamos os três em casa começamos a rir, pois a minha filha olhou e nos disse:
- Olha lá elas tão falando mal da mãe delas.

Isso tudo para dizer que acredito que não devemos nunca radicalizar, numa conversa podemos esclarecer um monte de coisas e NUNCA devemos julgar os outros. Devemos lembrar SEMPRE de ensinar nossos filhos o respeito ao próximo seja ele quem for. E o que mais ensina é o exemplo. Não esqueça disso.

Muita Luz e Paz
Abraços


Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias