Coisas que acontecem...mas não deveriam acontecer.


Calma que o papo vai render...............

No sábado era aniversário de meu irmão Aimberê, que mora em Santa Catarina, por isso na manhã do dia 14, sábado, saímos com destino a São Bento do Sul e passamos um dia delicioso junto a família, dormimos lá e voltamos logo cedo no domingo. Já na estrada algo me dizia que seria um dia de "provações", num determinado trecho da rodovia, onde não podíamos fazer alterações no trecho, ou estacionar o carro - vimos uma pessoa abandonando um cachorrinho, e ao carro sair ele corria desesperado atrás.....minha filha começou a chorar freneticamente eu e marido tentávamos acalmá-la, mesmo estando com o coração partido, e de mãos atadas, pois nada podíamos fazer.

Achei que já era um momento ruim o suficiente para ser presenciado e que equivalem a uma vida inteira (pois é muito triste), mas estava enganada....

Ao pararmos em frente ao portão de nossa casa, sentimos como se tivéssemos chego em uma encruzilhada com trabalho (macumba) montado, dada a quantidade de cabeça, pescoço e pé de galinha que estavam espalhadas por todo o lugar. Pedi a minha filha que ficasse no carro e falei ao marido que iria ver o que estava acontecendo - já imaginei o quarto elemento (Pérola) longe deste plano, em minha mente via apenas o corpo dela inerte largado em algum lugar do terreno. Mas quando chamei ela veio desesperada, chorava, pulava lambia - dei carinho e entramos... Só quando a gente chegou ela foi olhar as carnes de ave espalhadas pelo pátio... Graças a Deus quando estamos fora ela não come nada - marido catou todos os pedaços e colocou no lixo.

Sabe os hotéis para animais nesta cidade, fornecem apenas pequenos cubículos onde os nossos companheiros ficam aprisionados e ao irmos buscá-los estão desesperados. Por esse motivo temos optado, ao sairmos de casa - o que fazemos por períodos mais curtos - deixamos o quarto elemento no cantinho dela, com todo o pátio para correr e brincar, como ela já está acostumada - mas nesta semana o que presenciamos me deixou preocupada....teria algum vizinho tentado abreviar a existência de nossa companheira???? Estou a um ano aqui e ainda não tenho um grande contato com os vizinhos - no máximo Bom Dia e Boa Tarde. Vários vizinhos tem cachorro, alguns tem mais de um - que latem um monte. A nossa, á noite fica fechadinha no quarto dela e não incomoda ninguém - durante o dia fica solta pelo pátio correndo e latindo junto com os cachorros da vizinhança.

O estress foi tamanho que ela passou o dia de domingo assim:
Deitada na sala, coberta com um cobertor (ela tremia muito, que parecia estar um pouco febril) então mediquei e cobri para que ela relaxasse. E ficamos os quatro em observação - nós três observando cada momento do quarto elemento e ela observando e choramingando pedindo carinho..... 
Como expliquei a minha filha, nós não podemos resgatar todos os animais abandonados que existem pelo mundo, mas podemos dar amor e carinho ao que está perto de nós.

Eu sei que tento não julgar, até comentei com o marido,  prefiro pensar que o vizinho em questão apenas desejou fazer um agrado ao nosso bebê que estava sozinho - mas está tão dificil acreditar nisso. 

Sabe o que farei??? Bem vou conversar mais com os vizinhos em geral (afinal não sei exatamente quem foi e não posso ser justa se não vi o fato) e sutilmente (ai gente, sou sutil feito um elefante) então, sutilmente falar do quanto é legal ter um amigo como o nosso quarto elemento, dos benefícios que é a gente saber reconhecer o som que eles emitem...pois tem o latido de alerta, que é bem diferente do latido de resposta, ou de sofrimento. E confiar que Deus fará essa pessoa pensar no peso de seus atos. 

Ah! terei que leva-la a hoteis novamente, mesmo acreditando que lá, ela sofre muito mais do que ficando em casa. E você como resolve esses fatos que estão longe de nossas possibilidades? Tem alguma sugestão para me dar?

Tenha uma ótima semana!
Muita Luz e Paz
Abraços


Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias