Rotina de mãe

Fui mãe num momento onde as dívidas se estendiam por mais uns 6 meses, eu tinha planos de ser rica, famosa e viajar o mundo. Mas de uma hora para a outra eu me vi grávida. Trabalhando em universo totalmente masculino, quando contei esperava por uma reação negativa, mas foi ao contrário os meninos pulavam de alegria, era como se fossem todos pais.

Trabalhei até o último dia possível da minha gravidez e curti uma licença de 4 meses + 1 mês de férias. Então coloquei aos 4 meses minha filha na melhor escola de Curitiba, a "Tia" do berçário na época já trabalhava lá a mais de 10 anos. Eles nos acolheram como quem acolhe um membro da família.
Não, eu nunca senti culpa desta fase. Minha vida sempre teve muitos altos e baixos e eu nunca fui uma pessoa centrada, era bem desmiolada e estabanada. A escola compensou o que eu não tinha como dar a minha filha, sou grata a eles por isso.

Mas o período que passava com minha filha era único e eu curtia muito. E era tão pouco esse tempo que dele lembro sempre com muito amor e carinho. Brincávamos das 19 h até as 21 h quando ela dormia. E só depois eu começava a limpar o apartamento e cuidar da roupa,  e só depois tomar meu banho e ir dormir. Marido chegava da faculdade as 23 h jantávamos juntos conversávamos e íamos dormir das meia noite até as 06 h da manhã do dia seguinte.

Fui mãe que trabalha fora e cuida da casa até minha filha completar 07 anos, então nos mudamos para o interior e eu fui esposa e mãe em tempo integral. Esse período foi complicado precisei de medicamentos afinal sem estresse o estressado surta.

Mas aprendi muito e ainda aprendo com minha filha. Uma das coisa que aprendi foi reduzir o meu volume. Sou uma pessoa que passa fácil dos 90 decibéis e com ela estou aprendendo a controlar o volume da voz. 
É... Ela fala:
- Mãe porque você está gritando?

Minha filha nasceu adulta, sempre falamos que era um adulto-mirim, hoje ainda é mais madura do que eu em certos aspectos. Na maioria das vezes eu largo tudo o que estou fazendo e vou até onde ela está apenas para dar carinho. Sabe...sentar e abraçar, pegar em suas mãos e ficar segurando por um tempo, assim sem falar nada, apenas pelo gosto de estar ao lado e dar amor.

Agora aos 15 anos começamos, nesta semana, a fazer caminhadas seguidas de corridas. Pretendemos até o final do ano correr sem sofrimento 5 km. Mas sem neuras. Nossa alimentação está a cada dia mais saudável.

Manter a casa limpa e cozinhar comida saudável para minha filha e meu marido é algo legal. Mas confesso que as vezes o arroz queima (pode crer ou tô no telefone, ou no face...kkk) a polenta não dá ponto. A torta deixa muito a desejar...que foi?? Eu não sou perfeita. Tenho muita coisa para aprender, mas não tenho medo de tentar receitas novas.
E eu sinto falta de ter meu próprio ganho. Sei que na hora que sair para trabalhar, vou sentir falta de ficar em casa...rsrs

Sabe, tem os dias em que eu acredito que fiz tudo errado, e a gente briga, discute e até chora muito. Mas não entrego os pontos. Dou um tempo e chamo minha filha para conversar, questiono  onde eu errei. E dependendo proponho uma mudança; sempre deixando claro que a minha única e exclusiva necessidade, ou objetivo é fazer dela uma pessoa muito feliz. Um ser humano solidário, que faça a diferença em seu meio. Assim como eu tento ser.

Falo para ela que o "cosmos" a mandou para mim com a seguinte finalidade:
Eu sonho em viver eternamente. E ela descobrirá a fórmula da juventude, e dar-me-á a chance de ser a primeira cobaia do experimento.

Nunca em nenhum destes dias eu deixei de agradecer a ela por ter me escolhido para ser sua parceira de jornada. E nem de agradecer a Deus por ter me dado um presente tão lindo.




A proposta da Blogagem Coletiva "Mamãe tá de olho", era para ser apenas o dia-a-dia de uma mãe, mas sabe como é eu achei que precisava esclarecer um pouco mais. Espero que a Nádia autora da proposta, não estranhe muito. E também era para publicar ontem mas a minha internet não ajudou. E depois fui almoçar com minha mãe e minhas irmãs, curtir o dia das mães como se deve. Com muito carinho e rodeada de quem amamos.

Preciso te contar uma coisa incrível. A minha mãe é uma mulher maravilhosa que merece todo o carinho do mundo. E sei que ela não está só, na minha família todas são umas verdadeira mãezonas, mesmo sem ter parido. Sabe aquelas mulheres que se adonam da pessoa e cuidam de quem amam como se fossem umas leoas. Assim são as mulheres da minha família e eu me orgulho muito de todas elas. Detalhe importante. Todos os homens de minha família são mães maravilhosas. Sabe aqueles que fazem mais do que a cartilha de pai recomenda? Assim são eles.


Feliz Dia das Mães a todas as pessoas que passam por aqui e que de alguma forma cuidam de quem amam. Isso é amor de Mãe para mim.





Muita Luz e Paz
Abraços





Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias