O teu silêncio diz o quê?

Navegando pelo instagram me deparei com a pergunta
 que uso como título para esse post 
O TEU SILÊNCIO DIZ O QUE? 



Quem perguntava era um psicanalista e levantava hipóteses, inspirando a pensar sobre o dito popular "quem cala consente" e as inúmeras vertentes que podem estar atreladas ao momento em que silenciamos, não falamos nada, não damos nossa opinião.....

Me fez refletir sobre a postura das pessoas ao meu redor quando se deparam com meu silêncio, explico: Sou um ser que tagarela, de mente ágil, bom nível de positividade e humor (nada de positividade tóxica e nem de pessimismo exacerbado) sou como diz minha filha um oráculo da desgraça, peço aos que estão ao meu redor solidariedade e raciocínio prático, cientes das desgraças do momento, e auxilio sempre para que tudo flua de forma a causar menos dano a todos os envolvidos. 

Porém ao me calar em determinadas situações percebo na sequência que meu interlocutor tem se desculpando ou tentando explicar o inexplicável.... 

Certa vez questionei o motivo pelo qual a pessoa o fazia e esta justificou que meu silêncio deixou claro que eu "não havia gostado" do que ela havia dito, mas que talvez tivesse se expressado mal o que ela queria dizer era.......

Meus amores como diz o ditado "A emenda foi pior do que o soneto". Portanto em modo chulo posso dizer que quando silencio  é porque a merda feita pelo outro foi grande. Quando comentei isso na postagem do Instagram a pessoa comentou que então no meu caso "QUEM cala NÃO perdoa", respondi que não é bem essa a situação até porque essa é a imagem que o outro tem de mim, baseado na sua vivência, eu não me dou ao trabalho de arrastar os grilhões, deixo ali no assunto e sigo adiante, não faço questão de mudar a imagem que o momento deixou para aquele ser.

Só contesto e tento argumentar com quem amo. Porque entendo que a evolução depende do diálogo, porém quando não existem laços não gasto meu vocabulário, e o faço de forma intuitiva, não premeditada. Aqueles que respeito e quero muito, muito bem, sempre tento manter a via do diálogo aberta, livre para discordar, discutir, brigar.... sem nunca desrespeitar, desrespeitou não existe volta.

Quando minha filha era pequena certa vez ela perguntou se eu estava brava, respondi que não e ela respondeu "mas teu olar é de brava" até uma criança é capaz de entender o não dito, que no meu caso nunca é um consentimento, normalmente é decepção, raiva ou ausência total de percepção minha sobre o assunto.

E esse tempo de fake news deixou isso mais claro ainda, pois se eu conversava com a pessoa e ela me enviou esse tipo de noticia, eu avisei a ela que era falsa e mostrei a verdadeira - mais de uma vez, se ela ignorou e repetiu o erro eu simplesmente a bloquei ou silenciei de todas as formas, não quero gastar meu tempo e sanidade mental com quem não se dá ao trabalho de manter relações civilizadas, sem cometer atos que são criminosos. 

Me conta, teu silencio diz o quê?

Muita Luz e Paz!

Abraços


Blog protegido

myfreecopyright.com registered & protected

Visualizações

Categorias